Tamanho do texto

Foram 91 homicídios dolosos nas cidades da Região Metropolitana em agosto; latrocínios se mantêm estáveis

Local onde ocorreu algumas das execuções da chacina de agosto, na cidade de Osasco
Reprodução/Twitter
Local onde ocorreu algumas das execuções da chacina de agosto, na cidade de Osasco

A chacina que deixou 19 mortos nas cidades de Barueri e Osasco, há pouco mais de um mês, ajudou a puxar para cima o número de homicídios dolosos na Grande São Paulo ao longo de agosto. 

É o que mostram os dados com as estatísticas criminais do período divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado, nesta sexta-feira (25). Com um total de 91 vítimas – dez a mais do que no mesmo período do ano passado –, os homicídios cresceram 12,35% na Região Metropolitana, após seguidos meses de baixas. O governo ainda não esclareceu a autoria das execuções ocorridas nos municípios. 

O secretário de Segurança Pública, Alexandre de Moraes: ele ainda não esclareceu chacinas
Rodrigo Paneghine/SSP-SP - 16.09.2015
O secretário de Segurança Pública, Alexandre de Moraes: ele ainda não esclareceu chacinas

Apesar do dado negativo, houve melhora nos indicadores da maioria dos crimes na região. Em relação aos crimes contra a vida, somente os homicídios cresceram de fato, enquanto os latrocínios (roubo seguido de morte) se mantiveram estáveis na Grande São Paulo, com 9 casos. 

Outros crimes, no entanto, tiveram grande queda: os estupros caíram 13,1% em agosto, com 126 ocorrências, menor índice desde 2009. Roubos e furtos de veículos, também, respectivamente, 17,91%  e 16,77%. Também houve queda nos roubos de carga, de 24,84%.

Unidade federativa
Ao analisar os dados de todo o Estado, os números também se mostram, em sua maioria, positivos. Os homicídios caíram, mas pouco, 0,31%, enquanto os latrocínios registraram queda de 12,12% e os estupros, de 5,67% em agosto (766 ocorrências).

Roubos e furtos de veículos caíram, respectivamente, 23,85% e 12,28%, enquanto os roubos de carga, 13,7%.