Tamanho do texto

Crianças, que presenciaram o assassinato, foram encontradas pela Guarda Civil de São José dos Pinhais um dia após o crime; elas passam bem, segundo o Conselho Tutelar da cidade

Arabel Simone Oliveira Freitas Martins, de 45 anos: separação teria motivado o brutal assassinato
Reprodução
Arabel Simone Oliveira Freitas Martins, de 45 anos: separação teria motivado o brutal assassinato

Um crime bárbaro chocou uma cidade no Paraná e deixou em desespero familiares e amigos da vítima ao longo de mais de 24 horas. Arabel Simone Oliveira Freitas Martins, de 45 anos, foi violentamente assassinada pelo ex-marido e, posteriormente, teve as duas filhas sequestradas por ele. Elas foram encontradas pela Guarda Civil Municipal na quinta-feira (25) e passam bem.

O caso ocorreu em São José dos Pinhais, município localizado a cerca de 15 km de Curitiba (PR), na noite de quarta-feira (24). Segundo a Delegacia da Mulher da cidade, a quem foi passada a responsabilidade pela investigação do crime, por volta das 22h30 de quarta-feira, Marins Ernandes, de 39 anos, foi à casa da mulher com quem foi casado por sete anos e desferiu vários golpes contra ela, usando uma espécie de machado e uma faca – esta ainda não encontrada.

Leia também:
Mulher se entrega à polícia e confessa ter assassinado amante do marido
Mulher e amante encomendaram morte de empresário para ficar com o dinheiro

O corpo foi encontrado pouco após o assassinato pela filha mais velha de Arabel. Ela desconfiou que algo estava errado quando um vizinho afirmou ter dado carona a Marins, separado da mulher já há algum tempo, e às crianças. Segundo depoimentos colhidos pela investigação, o relacionamento entre os dois ficou conturbado após a separação, especialmente quando a vítima começou a namorar outro homem.

Boletim de Ocorrência registrado por Arabel às vésperas do crime mostra que ela vinha sendo ameaçada de morte pelo ex-marido caso não reatasse com ele. Na ocasião, a polícia registrou uma medida protetiva a Arabel, que legalmente impediria o ex-marido de se aproximar da mulher. 

Relembre crimes em família que chocaram o Brasil:

Mobilização
Momentos após o crime, familiares e amigos de Arabel iniciaram uma grande mobilização para encontrar as duas filhas da vítima com Marins, que têm 5 e 6 anos. "Se alguém viu minhas irmãs, por favor, chame a polícia, porque o pai delas matou minha mãe e sequestrou elas! Neste momento, a única coisa que importa é encontrá-las bem", postou no Facebook Hélia Freitas, uma das filhas da vítima, na manhã de quinta-feira. O post foi compartilhado quase 17 mil vezes na rede social.

As crianças foram encontradas na casa de um tio de Marins na tarde de quinta-feira. Apesar da pouca idade, elas admitiram ter presenciado a morte da mãe. Sem ferimentos, as duas foram encaminhadas para o Conselho Tutelar da cidade.

"Sem-teto"
Apesar dos problemas recentes que Arabel e Marins tiveram após a separação, os depoentes não descreveram o ex-marido da vítima como uma pessoa violenta. Sem passagens anteriores pela polícia, ele é descrito por conhecidos como uma pessoa tranquila, segundo os depoimentos colhidos pela investigação.

As ameaças só começaram mesmo após a separação dos dois – e acabaram reforçadas quando a mulher iniciou um novo relacionamento. Entretanto, havia em Marins alguns aspectos que incomodavam as pessoas próximas.

O principal suspeito do crime teria problemas com álcool e outras drogas. Além disso, segundo a polícia, ele não tinha residência fixa, sendo descrito pelos depoentes como um homem sem-teto, "que andava por aí, de casa em casa".

A investigação do caso afirma que Polícia Civil, Polícia Militar e Guarda Civil Metropolitana estão com esforços concentrados para encontrá-lo, o que não havia ocorrido até às 17h30 desta sexta-feira. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.