Tamanho do texto

Divulgados pela Secretaria de Segurança Pública nesta quinta-feira, índices do mês levam unidade federativa à menor taxa de criminalidade desde o início da divulgação de seus dados

O Estado de São Paulo atingiu em maio a menor taxa de homicídios dolosos de sua história desde que foi iniciada a medição das estatísticas de criminalidade, em 2001. A redução dessa modalidade de crime no mês foi de 16,57% quando comparado ao mesmo período do ano passado. 

sede da polícia em são paulo
Du Amorim/A2 Fotografia
sede da polícia em são paulo

Apesar da melhora, que mantém a unidade federativa abaixo do limite considerado "endêmico" pela Organização Mundial da Saúde (OMS) – 10 casos para cada 100 mil habitantes –, as taxas continuam altas no Estado. Com 9,52 homicídios dolosos a cada 100 mil pessoas, o número de assassinatos chegou a 292. Em maio passado havia sido de 350.

Assim como nos homicídios dolosos, houve melhora em todos os indicadores de criminalidade no Estado, algo raro nas divulgações feitas mensalmente pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo. 

Os números apresentados nesta quinta-feira pelo secretário de Segurança Pública, Alexandre de Moraes, na sede do órgão, mostram queda acentuada não apenas nos crimes contra a vida, mas também em ações contra o patrimônio.

Leia também:
Roubos de carga crescem 7,5% na Grande SP
Roubos crescem pelo 19º mês consecutivo no Estado de São Paulo

Além da redução em geral de 11,04% (25.293 casos) no número de roubos, também houve queda nos roubos a bancos (de 16,67%) e nos roubos de carga (de 8,68%). Da mesma forma, os latrocínios – assaltos seguidos de morte – também caíram, 12,12% (29 casos), enquanto os furtos, com 37.427 casos, registraram baixa de 8,43%, e os furtos de veículos, com 9.149, de 18,03%.

Com queda de 10,2%, o número de estupros chegou a 687, 78 casos a menos do que no mesmo período do ano passado.

Capital paulista
A evolução não se limitou ao interior. Na capital paulista também houve melhora em todas as taxas de criminalidade, mesmo que, em alguns casos, em número pequeno. Por exemplo, o índice de homicídios dolosos caiu pouco na cidade, 1,19%, mas manteve a tendência de queda dessa modalidade de crime. A taxa foi de 9,69 casos a cada grupo de 100 mil residentes em território paulistano.

A queda foi mais acentuada em relação a roubos, roubos de veículos, furtos e latrocínios – respectivamente, de 17,12%, 31,6%, 11,35% e 20,31%. Roubos de carga, furtos de automóveis e estupros também registraram queda, respectivamente, de 14,32%, 20,38% e 16,33%. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.