Tamanho do texto

Danielly Rodrigues, de 17 anos, e mais três meninas foram estupradas em Castelo do Piauí em 27 de maio. A garota não resistiu aos ferimentos e morreu na noite do último domingo

Uma enfermeira do Hospital de Urgência de Teresina Prof. Zenon Rocha (HUT) lamentou em rede social a morte de Danielly Rodrigues, garota de 17 anos que foi vítima de um estupro coletivo no Piauí em 27 de maio.

No Facebook, Lourdes Batista relembrou alguns momentos que passou com a menina, que morreu na noite do último domingo (7). "Chegamos a conversar, ela digitando no celular, pois a fratura de face grave não permitia que ela falasse. Lembro da nossa alegria quando o oftalmologista fez o teste e ela não tinha perdido a visão", publicou. 

Relato de enfermeira Lourdes Batistasobre morte de menina vítima de estupro
Reprodução/Facebook
Relato de enfermeira Lourdes Batistasobre morte de menina vítima de estupro

"Lembro quando sua família me disse que em dezembro pela passagem dos seus 18 aninhos, iria fazer um churrasco para as pessoas que cuidaram dela. Mas sabíamos da gravidade da lesão cervical que ela tinha", relembra.

A enfermeira ainda pediu conforto para a família e a todos que prestaram assistência à “linda e meiga Danielly”.

Entenda o caso

Danielly Rodrigues e mais três adolescentes foram amarradas e estupradas por cinco homens – quatro menores – em 27 de maio em Castelo do Piauí, a 190 km de Teresina.

As quatro garotas foram encontradas desacordadas, com graves ferimentos pelo corpo e levadas para o hospital da cidade. Por conta da gravidade do caso, elas tiveram que ser transferidas para a capital. 

Leia mais:

Menina de 13 anos se salva após lutar contra tentativa de estupro; veja o vídeo

Morre indiana que ficou 42 anos em coma depois de sofrer estupro brutal

Na unidade de tratamento intensivo (UTI) do HUT, Danielly passou por três cirurgias. Ela teve afundamento da face e complicações no tórax. Ao fazer a reconstrução do rosto, a garota perdeu muito sangue por conta de uma hemorragia e não resistiu.

O caso chocou a população da cidade. Muitas pessoas se manifestaram em frente a uma delegacia e atearam fogo em pneus em forma de protesto pela falta de segurança do local.

Leia também: Veja crimes em família que chocaram o Brasil


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.