Tamanho do texto

Vicente Andreu afirma que questões ambientais interromperam política de construção de reservatórios

O diretor-presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu, disse nesta terça (10) que o Brasil precisa retomar uma política de construção de reservatórios que, por diversas razões, entre elas, "questões ambientais que são absolutamente verdadeiras", abdicou de manter em funcionamento.

Leia últimas notícias sobre a crise hídrica

Presidente da ANA fala sobre a crise hídrica no país
Agência Brasil
Presidente da ANA fala sobre a crise hídrica no país

Leia também : Governo e Sabesp desconhecem dimensão da crise hídrica no Estado

Em entrevista ao programa Espaço Público, da TV Brasil, Andreu comentou a crise hídrica no país, especialmente em São Paulo. "Deveríamos voltar a estudar a geografia de maneira que voltássemos a ter reservatórios", disse. "Isso tem impactos sobre o meio ambiente? Tem. Tem impacto sobre algumas comunidades? Tem. Mas temos que colocar do outro lado os eventuais benefícios que uma política desse tipo tem - às vezes, até para controlar enchentes", acrescentou.

De acordo com o diretor-presidente da ANA, houve uma redução de oferta de crédito pelo Banco Mundial em todos os países do chamado terceiro mundo, inclusive no Brasil, para a construção de reservatórios, "porque havia impacto ambiental e se criava uma imagem negativa", explicou, e assim "Deixou-se de financiar reservatório. Mas o que está acontecendo é que você estressa mais ainda aquele reservatório existente. A sua capacidade de gerenciar uma crise não conta com água nova reservada".