Em Maricá, Eduardo Paes declara voto em Lula: 'Grande líder político'
Reprodução
Em Maricá, Eduardo Paes declara voto em Lula: 'Grande líder político'

O prefeito do Rio Eduardo Paes (PSD) declarou, na noite desta sexta-feira (8), que irá votar em Lula (PT) nas eleições para presidente. Nos últimos meses, o PT abriu negociações para ter o apoio de Paes à chapa de Marcelo Freixo (PSB) para a disputa do governo do estado, mas o prefeito segue apostando na candidatura de Felipe Santa Cruz (PSD). Ainda assim, os petistas e Paes costuram a construção de um segundo palanque para Lula, no Rio.

Em evento na casa do ex-prefeito de Maricá Washington Quaquá (PT), que contou ainda com a presença do atual prefeito Fabiano Horta (PT) e outros dirigentes do PT fluminense, Paes elogiou Lula, em momento registrado e vídeo e publicado pela VEJA.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG .

"É um grande líder político. Acho que o Brasil teve uma grande alegria de ter tido Lula como presidente da República. Aliás, a gente um dia vai parar, a história vai parar, e vamos pensar que honra ter tido Lula presidente do Brasil. Aproveito para revelar meu voto, vou votar no Lula para presidente", afirmou Paes, para aplausos dos presentes.

O prefeito, cuja relação com Maricá ficou famosa após ele ter ofendido o município em conversa com o próprio Lula, em um áudio divulgado pelo então juiz Sergio Moro, esteve na cidade para assinatura de um acordo para levar o aplicativo Taxi.Rio aos moradores. Além disso, Paes, que já se desculpou pelas falas polêmicas em várias oportunidades, recebeu o título de cidadão de Maricá, por iniciativa do vereador Felipe Auni. Após a agenda pública, ele seguiu para o evento, fechado, na casa de Quaquá.

Em 2018, apesar de reconhecer os méritos dos governos petistas nas suas entrevistas, Eduardo Paes, que na época concorria a governador, evitou declarar voto em Fernando Haddad (PT). Cobrado por apoio de ambos os lados, ele optou em permanecer na posição de neutralidade, e também fazia elogios ao então candidato Jair Bolsonaro. Naquelas eleições, Paes foi derrotado por Wilson Witzel.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários