rj
Creative Commons/Divulgação
Viaturas da Policia Civil do Rio de Janeiro


Uma organização criminosa especializada em roubo de grandes cargas é alvo de uma ação, na manhã desta sexta-feira (11), realizada pela Polícia Civil, com coordenação da 106ª DP (Itaipava), e pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), através do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco). A operação Lacto visa a desarticular o grupo que tem como alvos principais carnes e laticínios e atua na Região Serrana e Baixada Fluminense.


Segundo o MPRJ, os agentes buscam cumprir 12 mandados de prisão preventiva e 19 de busca e apreensão em endereços ligados a integrantes da quadrilha especializada no roubo de caminhões nas regiões. Outros quatro alvos denunciados não tiveram o mandado de prisão preventiva expedido. Até por volta das 7h10, nove mandados de prisão foram cumpridos, de acordo com o MPRJ. A Polícia Civil afirma que a operação é realizada nos municípios de São João da Barra, noroeste do estado, Belford Roxo, Duque de Caxias, Magé e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, e em Santa Cruz, Zona Oeste do Rio.

De acordo com as investigações, a organização criminosa se articula em quatro etapas . Um grupo fornece veículos a serem usados nos roubos e outro executa os crimes. Depois que os caminhões são receptados, outros integrantes dão a destinação aos veículos de carga e outro cuida do armazenamento e da destinação dos produtos. Entre os alvos identificados, de acordo com o MPRJ estão Adailton de Souza Fernandes e Gildásio Alves Andreza, responsáveis por fornecer os veículos para a prática, e Mauricio Luis Rodrigues, que assumia a venda de peças dos caminhões e das cargas roubadas. Também foi denunciado, por obstrução das investigações, João Guilherme Barbosa Soares. Porém os quatro não tiveram mandado de prisão preventiva expedido.

A polícia identificou o envolvimento do grupo em ao menos 14 crimes desse tipo, somando um prejuízo de R$ 2.054.167,10 . Um caso ocorrido em 18 de março deste ano, no trevo de acesso a Itaipava, em Petrópolis, deu início às investigações. Na ocasião foram roubados um caminhão, do modelo VW/14-220 C, avaliado em R$ 80 mil e a carga de leite, no valor de R$ 18 mil.

As investigações, no entanto, apontam que os roubos são realizados há mais de cinco anos. Até então, três indiciados foram presos em flagrante , sendo dois deles por roubo de carga e um por roubo a banco. Nesta sexta-feira, de acordo com o MPRJ, os integrantes do grupo que tiveram a prisão temporária decretada foram os irmãos Paulo Francisco Gomes e José Francisco Gomes, Waldemir Santos Moreira, Marcelo Roberto da Silva Rodrigues, Sandro Alex Muguet Cunha,Alessandro Paula de Farias, Valmir Pereira, Max Douglas Ramos Rodrigues, Cleiton João da Silva e Patricia Teixeira dos Santos, companheira de Paulo e responsável pelo galpão utilizado para guardar as cargas roubadas. Yago Barreto de Paula e Ozias Firmino do Nascimento Júnior já estão na cadeia pública Paulo Roberto Rocha, em Gericinó.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários