Tamanho do texto

Inep afirma que o começa do primeiro dia de prova do Enem aos estudantes não puderam fazer em novembro ocorreu dentro da normalidade e sem nenhum incidente nos 23 Estados em que está sendo aplicado

Agência Brasil

Começa o primeiro dia de prova do Enem 2016 para alunos que não puderam realizar a prova em novembro
Wilson Dias/Agência Brasil/Fotos Públicas
Começa o primeiro dia de prova do Enem 2016 para alunos que não puderam realizar a prova em novembro

A segunda aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) teve início às 13h30 deste sábado (4) em quase todo o País. Ao total, 277.624 inscritos, farão a prova neste final de semana, já que em novembro, o local de aplicação da prova estava ocupado por manifestantes.

  LEIA MAIS:  Mais de 277 mil alunos devem participar da segunda prova do Enem 2016

Os candidatos tiveram acesso as salas de aula para realização do Enem após às 12h30, horário em que os portões foram abertos e segundo informe do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep), neste começo de prova não foram relatados problemas em nenhum dos 23 Estados que estão aplicando a prova neste final de semana.

O adiamento da data dividiu opiniões dos estudantes em Brasília. Eles reclamaram que a mudança da data trouxe mais ansiedade para a realização da prova. “Achei que foi um pouco desnecessário, se adiou pra um, tem que adiar pra todo mundo. Fiquei um pouco mais ansiosa”, disse Edinalva Maria Santiago, 18 anos, que sonha em cursar medicina.

Na opinião de outros estudantes, a prorrogação do prazo foi oportunidade para reforçar os estudos. “Pra mim individualmente foi bom, porque os professores tiveram tempo de passar matérias que eles não tinham passado. Espero que a prova seja no mesmo nível que os outros, disse Aline Conceição Silva, 18 anos, que vai prestar vestibular para direito.

LEIA MAIS: Enem 2016: de intolerância religiosa a Chico Buarque; professor comenta

Ainda em Brasília, os treineiros, estudantes do 2° ano do ensino médio sentiram-se prejudicados, pois a realização do Enem neste final de semana, coincidiu com o dia de realização da segunda etapa do Programa de Avaliação Seriada (PAS), da Universidade de Brasília (UnB). “Estudei muito. Esse adiamento não gostei muito, porque caiu bem na data do PAS e aí você teve que escolher se ia fazer o PAS ou o Enem. E o pior que os dois você paga, então é uma perda muito grande”, reclamou a jovem Carolina Carvalho Santiago, de 16 anos.

A jovem afirmou ainda a intenção de seus pais em recorrer às instituições responsáveis pelas provas para conseguir uma nova oportunidade para realização da etapa da UnB, ou para pedir ressarcimento do valor pago na inscrição.

Rio de Janeiro

O técnico em informática Rubens de Meneses, que pretende cursar uma graduação na área de informática, considerou que o adiamento da prova lhe beneficiou, pois teve mais tempo para estudar. “Estudei cinco dias por semana. O adiamento para mim foi benéfico, deu tempo de estudar mais”, disse ele.

Já a irmã de Rubens, Samara Rodrigues pretende conseguir uma vaga em fisioterapia. Para ela, porém, o adiamento foi pior, pois considera que ficou mais tensa. “Para mim foi pior, pois eu sou nervosa. Era melhor ter feito antes, pois aí acabava logo. Mesmo eu tendo estudado, sempre o nervosismo vai atrapalhar. Hoje o que eu estou com mais medo é de história, mas devo ir bem em química e biologia”, disse ela, que aposta em um bom resultado em redação, na prova de amanhã.

Para o professor de química Pedro César Fiortti, que estava à porta acalmando alguns alunos, o adiamento do Enem foi prejudicial, pois atrapalhou o planejamento dos estudantes. “Para a maioria não foi benéfico, pois o aluno já está preparado, vem de uma pressão enorme. Psicologicamente, eu não acredito que tenha ajudado, porque a gente já vem preparando eles para tal dia, tem todo um planejamento de aula”, disse o professor.

LEIA MAIS:  Polícia Federal conclui que houve vazamento do Enem 2016

    Leia tudo sobre: Enem
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.