Zeca do PT assume papel único de `cabo eleitoral¿ de Dilma

Petista derrotado ontem nas urnas busca espaço político fazendo apelo melancólico por presidenciável

Alessandra Messias, iG Campo Grande |

Um dia após a derrota arrasadora para o governador André Puccinelli (PMDB), Zeca do PT se esforça para se manter em evidência.

Hoje o ex-governador petista lançou um melancólico apelo para que o eleitorado do Estado eleja Dilma Roussef (PT) presidente da República.

Na eleição para o governo local, Zeca do PT recebeu mais de 530 mil votos (42% do eleitorado), mas não o suficiente para assegurar sua continuidade na disputa em eventual segundo turno.

O petista derrotado diz que “se sente vitorioso porque cumpriu sua meta, de elevar a auto-estima da militância e ajudar os partidos coligados a eleger deputados estaduais e federais”.

Ontem, Zeca acompanhou a apuração em sua casa, com a família, companheiros do partido e alguns amigos. Por volta das 19h20, o ex-governador recebeu um telefonema do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, cumprimentando-o pela votação e pedindo seu empenho na eleição de Dilma.

Internamente o PT é mobilizado pela corrente de Zeca e do outro pela do senador reeleito, Delcídio do Amaral.

Zeca fez críticas ao senador: “Delcídio frustrou muito. Não a mim, que não sou um homem de guardar mágoa, mas à militância”.

“No momento certo, o PT vai ter que se reunir e discutir o que cada um fez nesta campanha eleitoral”, informou o ex-governador que visitou 60 municípios em 60 dias de campanha.

André Puccinelli, o principal adversário de Zeca afirma que o petista entrou na disputa sabendo da dificuldade de vencer a eleição contra quem já está no governo e é bem avaliado, mas conseguiu “fazer seu nome” para 2012.

O petista pretende disputar a prefeitura de Campo Grande na próxima eleição.

“Eu creio que será muito difícil a vitória do Zeca aqui em Campo Grande, é só ver a diferença que tivemos na Capital nestas eleições: foram 60% contra 37% dele. Ou seja, 23 pontos percentuais de diferença, sendo que no Estado deu 13,5%”, soma Puccinelli.

Segundo o governador, o grupo político ligado ao PMDB é muito forte em Campo Grande.
Zeca já perdeu duas disputas nas urnas para Puccinelli e também teve outras três derrotas de forma indireta.

“Claro que devemos respeitar todos os adversários, mas eu vejo com extrema dificuldade o Zeca se projetar em Campo Grande e vencer as eleições, uma vez que o nível de rejeição dele aqui beira os 50%”, aponta André. 

De toda forma, “é um direito democrático que ele tem, mas depois da quinta derrota, eu creio que ele não se atreva na próxima vez a querer ser candidato. Mas se vier, o Nelsinho é que vai comandar o processo, e eu vou apoiar participando ativamente na escolha dos nomes”, emenda o governador.

Alessandra Messias/iG
Enquanto o governador reeleito Andre Puccinelli está voltado para as ações do novo governo, Zeca tem futuro político incerto

    Leia tudo sobre: Eleições MSEleições Puccinelli

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG