Três corpos de vítimas do voo 447 chegam a Fernando de Noronha

RECIFE - Mais três corpos do voo 447 encontrados pela equipe de buscas chegaram a Fernando de Noronha às 10h06 (horário local) deste sábado. Os cadáveres foram transferidos da fragata Constituição para o helicóptero H-60 BlackHawk, da Força Aérea Brasileira.

Socorro Macedo, especial para o Último Segundo |

Dos 28 corpos que estão em Noronha, 21 chegaram neste sábado (13) no Recife, onde serão submetidos a necropsias para identificação e descobrimento da causa da morte. É provável que os outros sete corpos sejam enviados juntos ao IML, mas ainda não há previsão da data.

Depois de deixar os corpos em Noronha, a Constituição segue para o Porto do Recife com o segundo lote de destroços e objetos pessoais. A previsão é que a embarcação atraque na manhã do domingo (14).

Entre os destroços, está o leme do avião, a maior peça recolhida, com sete metros. As peças ficarão à disposição do Bureau Denquêtes et DAnalises pour la Securité de lAviation civile (BEA). Quanto aos objetos pessoais (bagagem) do voo AF 447, a Aeronáutica aguarda o posicionamento da Companhia Aérea Air France, que é legalmente responsável por esses itens.

Até agora, o número de corpos pode ter chegado a 50. Os outros 16 corpos continuam em perícia no IML do Recife. Seis corpos foram encontrados pelo navio mistral da França, mas o número só será confirmado quando os cadáveres estiverem em navios brasileiros.

Uma fonte ouvida pelo "Jornal do Commercio", de Pernambuco, informou que nenhum dos 16 corpos que estão sendo analisados no IML do Recife está em posição de defesa. Isso pode indicar que não houve um pouso forçado na água e que os passageiros não tiveram tempo para se proteger, segundo o jornal.

O estado dos corpos - que não estavam carbonizados- e dos primeiros destroços do avião ¿ que não possui sinais de ação de fogo - fortalece a tese de que não houve explosão no ar.

Ainda de acordo com o jornal, na tentativa de identificar a natureza das fraturas, os peritos estão tirando raio-x de várias partes do corpo. Eles querem investigar, por exemplo, se os corpos apresentam traumatismo craniano, situação provável em caso de queda livre.

Entenda

Dor das famílias

Vídeos

Fotos

Leia também

Leia mais sobre: voo 447

    Leia tudo sobre: voo 447

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG