Sobe para 41 o número de corpos resgatados, diz comando de buscas

RECIFE - O Comando da Marinha e o Comando da Aeronáutica confirmaram, nesta terça-feira, que 41 corpos foram resgatados na região em que caiu o Airbus A330 da Air France.

Socorro Macedo, especial para o Último Segundo |

Os primeiros 16 corpos encontrados e resgatados já se encontram em Fernando de Noronha e devem seguir para a identificação em Recife. Os outros 25 estão na Fragata Bosísio e ainda não foram encaminhados para a costa brasileira. Inicialmente foi dito que a capacidade da Bosísio era de 20 corpos, mas o comando de buscas informou que sua capacidade máxima foi usada para que não tivesse que fazer outra viagem.

No total, foram encontrados 17 corpos nesta terça-feira. No final da manhã, foi divulgado que quatro corpos haviam sido encontrados e outros 13 foram localizados até esta última entrevista coletiva.

Também na entrevista coletiva da noite desta terça-feira, o comando de buscas confirmou a chegada de um navio anfíbio, um submarino, um navio de pesquisas, um helicóptero e dois rebocadores de alto mar. Todos vindos do governo francês e com previsão de chegada entre os dias 10 e 18 de junho.

O capitão Giucemar Tabosa Cardoso, da Comunicação da Marinha, reforçou que a coordenação dos navios e aeronaves está dando prioridade ao resgate de corpos e não ao de destroços. Ele esclareceu, ainda, que os destroços resgatados por navios devem ser trazidos à costa quando a tripulação precisar de mantimentos.

Quanto aos corpos, Cardoso afirmou que, mesmo se forem encontrados por autoridades francesas, eles devem ser trazidos para Fernando de Noronha e depois Recife, já que todo o trabalho de identificação deve ser feito no Brasil.

Divulgação
Mapa de onde os destroços foram achados/ Mapa com a localização da corpos resgatados

Os corpos já resgatados devem chegar a Recife apenas no período da tarde de quarta-feira. O trabalho pericial que está sendo feito em Noronha é bastante demorado, explica Cardoso. A previsão inicial era de que os corpos fossem transportados na madrugada desta terça-feira.

Em comunicados anteriores, o comando de buscas havia dito que possíveis corpos haviam sido avistados, mas não havia nenhuma confirmação. Desta vez, não temos nenhum avistamento que não foi recolhido, disse Cardoso. Agora, os navios estão concentrados e eles têm condições de chegar e recolher.

Cardoso também falou sobre uma mudança na área de buscas. As correntes marítimas estão se dirigindo para o norte. Amanhã (quarta-feira) estaremos ampliando nossos setores de busca neste sentido, afirmou. A área de buscas aumentou para 1350 quilômetros na noite desta terça.

No caso da expansão das buscas para o território sob jurisdição de Dakar, no Senegal, o comando de buscas informou que as aeronaves e navios brasileiros já podem fazer pesquisas nestas áreas.

Segundo o capitão, as maiores dificuldades no trabalho de buscas e resgates são as condições meteorológicas e a dificuldade das aeronaves de tirar os corpos dos navios.

Quanto às investigações, Cardoso informou que dois investigadores franceses devem chegar ao Brasil nos próximos dias. Outros três já passaram pelo país e voltaram para a França.

Voo 447 da Air France

Identificação dos corpos

Nesta terça-feira, a Interpol  anunciou em um comunicado recebido em Paris que vai ajudar a coordenar a identificação dos corpos das vítimas do voo Air France 447.

"Como as vítimas desta tragédia são originárias de diversas partes do mundo, a colaboração internacional será essencial para garantir que sua recuperação e sua identificação sejam feitas de forma confiável, digna e rápida", declarou o secretário geral da Interpol, Ronald Noble.

Sensores de velocidade

Uma fonte sindical informou que todos os Airbus 330 e 340 da Air France voarão a partir desta terça-feira com pelo menos duas novas sondas Pitot (sensores de velocidade). A eventual falha dos sensores de velocidade está no centro da investigação do desastre sobre o Oceano Atlântico.

A FAB informou que já substituiu os sensores que medem a velocidade do Airbus ACJ-319 da Presidência, embora tenha lembrado que a mudança não está vinculada ao desastre ocorrido com um avião da empresa francesa.

Entenda

Dor das famílias

Vídeos

Fotos

Leia também

Leia mais sobre: voo 447

    Leia tudo sobre: air france

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG