Passageira conta como foi estar em avião vindo de NY atingido por raio

A jornalista Cristina Zaccaria estava em um avião que foi atingido por um raio em abril deste ano, assustando os passageiros. Ela conta como foi a experiência; o avião da Air France, que desapareceu na madrugada desta segunda-feira durante um voo do Brasil para a França, pode ter sido atingido por um raio.

Redação |

Ela voltava de Nova York para São Paulo em vôo da American Airlines e, segundo ela, no momento da decolagem, à noite, chovia muito na cidade.

"Estávamos voando há cerca de cinco a dez minutos quando vimos um clarão muito forte, que assustou os passageiros", conta Cristina. Segundo ela, depois de alguns minutos o piloto informou calmamente que o avião havia sido atingido por um raio e que não havia problemas com o avião, mas que preventivamente a aeronave teria que retornar ao aeroporto de Nova York para verificação. Para Cristina, era possível perceber que o avião havia perdido força depois do clarão.

Cristina diz que cerca de dez minutos depois os passageiros ouviram um barulho alto, que não foi explicado pela tripulação nem pelo piloto. "Acredito que provavelmente era o piloto jogando combustível no mar para poder pousar com segurança", diz ela.

Não houve desespero entre os passageiros, conta ela. "Uma passageira que estava grávida ficou nervosa e a vi chorando, mas fora isso houve apenas um silêncio profundo entre os passageiros. Só quando o avião pousou que ficamos aliviados", diz Cristina.

Em terra, os passageiros ficaram sem informações e só depois de duas horas descobriram que o vôo havia sido cancelado, diz a jornalista. Ela diz que a empresa aérea não informou o que aconteceu com a aeronave nem porque ela não tinha condições de voar. "Ficamos sem água, sem comida, de noite no aeroporto. A assistência em terra poderia ter sido melhor", diz ela.

Leia mais sobre: viagem aérea

    Leia tudo sobre: aviãoraio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG