Navio com corpos das vítimas do voo AF 447 chega à França

Embarcação com mais de 100 corpos do acidente aéreo atracou na manhã desta quinta-feira no porto de Bayonne

BBC Brasil |

selo

Os 104 corpos de vítimas do voo AF 447 da Air France , que caiu no Atlântico em 2009, chegaram nesta quinta-feira à França. O processo de identificação começará na sexta-feira ou sábado e poderá levar meses, segundo as autoridades francesas.

O navio Ile de Sein, que transportou os corpos e também peças do Airbus que serão analisadas nas investigações, atracou na manhã desta quinta-feira em Bayonne, no sudoeste da França, sob escolta da marinha.

AP
Embarcação com os corpos das vítimas do voo AF 447 chega a Bayonne, na França
Identificação

Os restos mortais foram encaminhados ao Instituto Médico Legal de Paris para o início do processo de identificação. "É mais um sofrimento que começa. A expectativa é muito grande por não saber se o corpo que aguardamos está entre os que serão identificados", disse à BBC Brasil Nelson Marinho, presidente da associação AFVV447, que perdeu um filho na tragédia. "Há famílias que perderam mais de um parente e que sofrem com a expectativa de que nem todos tenham sido resgatados", diz Marinho, que está atualmente na França.

O processo de identificação será realizado com base na comparação de dados ante-mortem (como cirurgias e implantes) e pós-mortem (recolhidos nos exames médico-legais, odontológicos e coletas de DNA de ossos longos).

Análise minuciosa

Os dados recolhidos e também o material genético dos parentes serão inseridos em um software especial, utilizado pela Interpol, que irá propor algumas comparações possíveis. Só então uma comissão, formada por biólogos, dentistas e especialistas em identificação, estudará caso por caso. Todos os especialistas devem estar de acordo para que um corpo possa ser oficialmente reconhecido, disse à BBC Brasil o coronel François Daoust, diretor do Instituto de Pesquisas Criminais da Polícia Militar, que coordenará esses trabalhos, sob autoridade da Justiça francesa.

O coronel Daoust afirma que os 104 "despojos" resgatados podem não representar 104 vítimas. Alguns dos restos mortais podem ser de um mesmo passageiro.

Polêmica

O processo de identificação divide os familiares. Em uma reunião na quarta-feira em Paris, com autoridades francesas, representantes das associações da Alemanha e da França afirmaram que alguns parentes não desejam que os corpos sejam identificados e restituídos. Mas a identificação dos corpos é uma determinação da Justiça francesa, que será cumprida.

O presidente da AFVV447 protesta que 74 corpos não tenham sido resgatados sob a alegação de que eles estariam muito deteriorados. "Nenhuma família passou procuração à Justiça francesa para permitir essa decisão. Os restos mortais, qualquer que seja seu estado de conservação, são importantes para finalizar a vida por meio de um enterro", diz Marinho.

Investigação das causas

As peças do Airbus da Air France que também chegaram nesta quinta-feira à França serão levadas a um hangar militar, em Toulouse, no sudoeste do país. As informações recolhidas após a análise dessas peças, como motores e computadores de bordo, serão cruzadas com os dados das duas caixas-pretas do avião e utilizadas nas investigações sobre as causas da catástrofe que matou 228 pessoas. Um novo relatório intermediário sobre as causas do acidente deverá ser divulgado no fim de julho.

    Leia tudo sobre: françabrasilair francevoo af 447desastre aéreo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG