Marinha e Aeronáutica retificam número de corpos resgatados

RECIFE - O Comando da Marinha e o Comando da Aeronáutica retificaram nesta segunda-feira a informação transmitida na noite deste domingo. Até o momento, 16 corpos foram resgatados na área de buscas, e não 17 como foi anunciado. A Fragata Ventose, da Marinha Francesa, recolheu sete e não oito corpos como foi informado anteriormente à Coordenação das Buscas.

Socorro Macedo, especial para o Último Segundo |

"Temos o compromisso com a imprensa, em relação a repassar os fatos do cenário, esse compromisso se torna mais importante porque ninguém da imprensa está lá pra registrar o que esta acontecendo. Todas as vezes em que for necessário, vamos realizar alguma correção sem o menor problema. Foi um fato ocorrido e em decorrência deste acontecimento, só notificaremos a imprensa sobre os corpos que estiverem em navios brasileiros", disse o coronel Henry Munhoz, assessor de imprensa da Aeronáutica. Ele também afirmou que não serão divulgados os sexos dos corpos encontrados.

Mais cedo, Maarten van Sluijs, irmão de Adriana van Sluijs, uma das passageiras do voo 447, disse que os familiares das vítimas hospedados no hotel Windsor, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, foram informados pela Força Aérea Brasileira (FAB) que mais dois corpos haviam sido encontrados nesta manhã. Os militares dizem, somente, que áreas com possíveis corpos foram avistadas, mas não existe confirmação.

A Fragata Constituição deverá chegar às proximidades do Arquipélago de Fernando de Noronha na manhã desta terça-feira, transportando todos os 16 corpos já resgatados.

Segundo os militares, os sete corpos que estavam na Fragata Ventose, da Marinha Francesa, foram transferidos para o Navio Brasileiro, "sem comprometer significativamente a estimativa de chegada". Todos os corpos estão na fragata brasileira Constituição, que está a 688 quilômetros de Fernando de Noronha. Uma vez em Noronha, estes corpos receberão o tratamento pericial inicial para serem transportados de avião até Recife (PE).

De acordo com as autoridades, as ações de busca e resgate continuam, ininterruptas, e concentradas nos pontos onde foram localizados os corpos. Paralelamente a essas ações, a aeronave R-99 permanece realizando varreduras eletrônicas no intuito de identificar outros focos de destroços. Além disso, a equipe também é constituída por mergulhadores.

"Os navios navegam em meio a destroços. Centenas de destroços estão sendo recolhidos. A prioridade é resgatar corpos e não destroços", disse o coronel. Nesta segunda-feira, a FAB divulgou novas imagens do trabalho de busca.

Divulgação
Pedaço da aeronave encontrado no Oceano Atlântico

As condições meteorológicas não atrapalham as operações de busca e resgate neste momento, mas, segundo a FAB, existem áreas de instabilidade próximas ao Arquipélago de Fernando de Noronha.

Atualmente a Operação conta com 14 aeronaves, sendo 12 da Força Aérea Brasileira e duas da França. O Navio-Patrulha Guaíba está substituindo o Navio-Patrulha Grajaú, que retorna para Natal (RN). Dessa forma, os meios navais continuam compostos por cinco navios da Marinha do Brasil e uma Fragata da Marinha da França. Um submarino francês deve chegar para as áreas de buscas nos próximos dias.

Voo 447 da Air France

Cai para 16 o número de corpos:


Entenda

Dor das famílias

Vídeos

Fotos

Leia também

    Leia tudo sobre: acidente aéreo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG