Marinha e Aeronáutica anunciam o resgate de 24 corpos no mar

RECIFE - Os Comandos da Marinha e da Aeronáutica informaram que, até o momento, 24 corpos foram resgatados nas buscas pelo Airbus da Air France, que caiu no Atlântico no último domingo. Destes 24, oito corpos foram encontrados nesta segunda-feira.

Socorro Macedo, especial para o Último Segundo |

Os primeiros corpos anteriormente resgatados chegaram a Fernando de Noronha na manhã desta terça-feira. Lá, os corpos serão submetidos à preparação pericial inicial e, posteriormente, transportados de avião para Recife. 

Divulgação

Imagem dos destroços encontrados no Oceano Atlântico

"Não forneceremos detalhes do transporte dos corpos pela fragata Constituição", disse Henry Munhoz, tenente-coronel da Aeronáutica. "Não vamos anunciar corpos avistados, só corpos que foram efetivamente resgatados e a bordo de  navios brasileiros", disse Munhoz. 

A profundidade da região onde os outros oito corpos foram encontrados nesta segunda é de 3500 metros. Eles foram resgatados a 440 quilômetros do arquipélago de São Pedro e São Paulo pelas fragatas Bosísio e Ventuse (francesa) e serão encaminhados para Fernando de Noronha. Depois, seguirão para o Recife.

Gilcemar Tabosa, capitão de fragatas da Marinha, disse que não tem informações sobre o estado em que estão esses corpos.

"Em setembro de 2006, aconteceu um acidente na Floresta Amazônica. Menos de 24 horas depois, já havia um avião sobre a região. Após um trabalho intenso, 154 corpos foram resgatados. E a nossa missão terminou sem que ninguém ficasse para trás. Hoje, temos uma missão bem maior. Temos 228 passageiros esperando o nosso resgate. O nosso objetivo é não deixar ninguém para trás", disse o tenente-coronel Henry Munhoz.

Ministro da Defesa

O ministro Nelson Jobim,  falou sobre a confusão em relação às informações a respeito dos destroços encontrados na terça-feira da semana passada. Na ocasião, ele havia confirmado que os objetos avistados eram mesmo do airbus, o que foi corrigido depois.

Greve de pilotos

Uma falha nos sensores de velocidade está sendo considerada uma das possíveis causas para o acidente com o airbus da Air France. O sindicato de pilotos da empresa assegurou que pediu nesta segunda-feira a seus associados que não voem enquanto a companhia não mudar os sensores de velocidade dos Airbus A330 e A340 .

Destroços

A Marinha e Aeronáutica destacam que a prioridade dos trabalhos é a busca por sobreviventes, corpos e destroços. Segundo o capitão de fragatas Gilcemar Tabosa, um submarino da marinha francesa está vindo ao Brasil para intensificar as buscas pela caixa-preta do airbus. O submarino é um Rubis e tem 72 metros de comprimento. O capitão disse que não possui detalhes de onde a embarcação vai operar.

Segundo Henry Munhoz, tenente-coronel da Aeronáutica, não há previsão de quando as partes da aeronave que foram encontradas serão levadas para Fernando de Noronha. "A gente não vai especificar qual peça do avião foi recolhida. Todos os questionamentos sobre as peças terão de ser feitos ao fabricante".

Segundo nota do Ministério da Defesa, as operações contam com 255 militares da Força Aérea Brasileira, deslocados para Natal, Recife e Fernando de Noronha, e 14 aeronaves, sendo 12 da Força Aérea Brasileira e duas da França.

A Marinha do Brasil tem 570 militares trabalhando e permanecem na área de operações cinco navios da brasileiros e uma fragata da Marinha da França.

Segundo a nota do ministério "o levantamento de outros focos de destroços continua a ser feito pela aeronave R-99 e, durante a noite, aeronaves de busca visual trabalham no transporte de suprimentos para Fernando de Noronha"

Voo 447 da Air France



Entenda

Dor das famílias

Vídeos

Fotos

Leia também


    Leia tudo sobre: avião

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG