Equipes de busca avista possíveis novos destroços

O Comando da Marinha e o Comando da Aeronáutica informaram que, nesta segunda-feira, possíveis novos destroços foram avistados a cerca de 1.100 quilômetros a nordeste de Fernando de Noronha. O Navio de Desembarque-Doca Rio de Janeiro foi informado da localização desses materiais. Corpos não foram avistados.

Redação |


Nesta manhã, chegou ao Porto do Recife o Navio-Tanque Almirante Gastão Motta trazendo o último corpo encontrado e despojos , além de pequena quantidade de destroços e bagagens.

O corpo e os despojos já foram encaminhados a representantes da Polícia Federal e do Instituto Médico Legal de Pernambuco (IML). O material recolhido ficará à disposição do Bureau D´Enquêtes et D´Analises Pour la Securité de I´Aviation Civile (BEA).

AE

O navio brasileiro Almirante Gastão Motta atraca no Porto do Recife

Até esta segunda-feira, 50 corpos foram resgatados. Onze já foram identificados , dez brasileiros e um estrangeiro. A nacionalidade da última vítima não foi divulgada.

A Força Tarefa que trabalha no Instituto Médico Legal de Pernambuco (IML-PE), composta por profissionais da Polícia Federal e da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, com o apoio de médicos legistas da Secretaria de Defesa Social da Paraíba, informa que seguiu diretrizes da Interpol para a identificação de vítimas de desastres, que reúne procedimentos científicos internacionalmente discutidos.

Após três semanas de Operação, o Comando da Aeronáutica afirma que suas aeronaves voaram cerca de 1.350 horas, tendo sido realizadas buscas visuais em 320.000 quilômetros quadrados, correspondente a mais de duas vezes a dimensão do estado do Ceará. A Marinha afirma que o efetivo de militares da Marinha subiu para 885, aumentando para 1.100 o número de envolvidos na operação.

Entenda

Dor das famílias

Vídeos

Fotos

Leia também

    Leia tudo sobre: acidente aéreoair francevoo 447

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG