Defesa diz que destroços avistados no oceano são do Airbus A 330

Os destroços avistados no oceano Atlântico no início das buscas pelo Airbus A 330 são realmente da aeronave, segundo nota veiculada nesta sexta-feira pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA). Apenas os objetos recolhidos do mar não são do avião, conforme as declarações dadas na quinta-feira pelo brigadeiro Ramon Cardoso, diretor do Decea.

Redação |

Nos primeiros dias de buscas foram avistados por aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) uma mancha de querosene, uma poltrona, fios e objetos metálicos.

Nós tivemos de concreto, no início, a mancha de querosene, a poltrona e alguns pedaços da aeronave que faziam parte de uma área um pouco maior de aproximadamente três quilômetros de destroços, onde havia fiação e parte interna da aeronave, disse o brigadeiro.

Ele disse também que outros objetos foram vistos, mas foram logo descartados pois não pareciam ser da aeronave. O brigadeiro disse que, sempre que forem avistados objetos que causam dúvida sobre sua origem, eles têm que ser buscados e a confirmação vem apenas depois que eles estiverem recolhidos dentro do navio.

Dor das famílias

Vídeos

Fotos

Leia também

    Leia tudo sobre: avião

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG