Dados das caixas-pretas do voo 447 da Air France estão intactos

Descobertas podem ajudar a esclarecer acidente que matou 228 pessoas em maio de 2009

iG São Paulo |

Os dados de voo do avião do AF447 Rio-Paris que caiu no Oceano Atlântico em 2009, com 228 pessoas a bordo, estão intactos nas caixas-pretas recuperadas, anunciaram as autoridades de aviação francesas. Os dados foram recuperados pelos investigadores franceses durante o fim de semana, anunciou nesta segunda-feira o Escritório de Investigações e Análises (BEA, na sigla em francês), que apura as causas do acidente.

As leituras permitiram recolher a integralidade dos dados contidos no gravador de parâmetros técnicos do voo, como também a integralidade das gravações sonoras das duas últimas horas do voo. A expectativa é que a análise das informações explique as circunstâncias exatas do acidente com o avião que fazia a rota Rio-Paris quando caiu, em 31 de maio de 2009, matando as 228 pessoas a bordo.

Segundo um comunicado do BEA, a análise do material deve durar várias semanas. Um relatório será redigido e divulgado nos próximos meses. As operações foram efetuadas na presença de uma equipe internacional de investigadores de acidentes aéreos, entre os quais dois brasileiros do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos).

No fim de semana, os investigadores limparam (retirando vestígios de sal) e secaram os cartões de memória internos das caixas-pretas. Por se tratarem de provas em uma investigação judicial, a operação foi também acompanhada por um oficial da polícia judiciária francesa.

As duas caixas-pretas permaneceram durante quase dois anos submersas no Atlântico a 3,9 mil metros de profundidade. Elas chegaram na semana passada à França. Uma das caixas-pretas contém os parâmetros técnicos do voo, como altitude e velocidade, e a segunda grava as conversas dos pilotos ou qualquer outro som emitido na cabine.

Os investigadores franceses também resgataram outras peças do Airbus da Air France, como parte da cabine de pilotagem, o joystick dos pilotos e seus assentos e também os calculadores do motor, que gravam inúmeros parâmetros "preciosos", segundo o BEA. O resgate de peças e eventualmente de corpos, se os testes para tentar extrair o DNA das duas vítimas já retiradas do mar forem positivos, deverá ser retomado por volta do dia 21 de maio.

*com AFP e BBC Brasil

    Leia tudo sobre: françabrasilair francevoo af 447desastre aéreo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG