Corveta com destroços e peças de roupas chega ao porto do Recife

RECIFE - A corveta Caboclo, que carregava mais de cem destroços do avião da Air France que caiu no oceano no começo do mês, chegou ao Porto do Recife por volta de 9h15 desta sexta-feira. Um guindaste foi utilizado para retirar alguns dos destroços da embarcação, entre eles a maior peça, um armário que fazia parte da copa do avião. Também foram recolhidas outras partes da aeronave, poltronas, peças de vestuário e objetos pessoais.

Socorro Macedo, especial para o Último Segundo |

De acordo com comandante da corveta, Alexandre Taumarturgo Pavoni, a missão foi uma das mais importantes que participou. "Foi uma missão difícil e árdua pela característica emocional. Mas é muito importante saber que nós contribuímos para amenizar as dores dos familiares. O momento de maior emoção foi no dia 6 de junho ao encontrar o primeiro destroço identificado como da aeronave, por ter frases em francês, após cinco dias de ansiedade nas buscas. Antes, só encontrávamos objetos que não eram de aeronaves, como plásticos.

AE
A corveta Caboclo, que carrega destroços e outros itens do avião

A corveta fica atracada dois dias no porto e ainda não está definido se volta para a área de buscas. Os destroços serão levados para um galpão do aeroclube, no bairro do Pina, na zona sul do Recife. O material é transferido para os representantes do Escritório de Investigação e Análise para a Aviação Civil (BEA, na sigla em francês) que já estão na capital pernambucana. Dois representados do BEA, do Centro Nacional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aéreos (Cenipa) e do consulado fancês estão no local acompanhando a chegada do material.

A embarcação que chegou nesta sexta-feira ao Recife recolheu nove corpos durante os trabalhos de busca, entre eles, os cinco primeiros e o último (de número 50) da operação, até a tarde desta sexta-feira. A embarcação também recolheu a primeira poltrona encontrada do voo. Os corpos resgatados passavam pelos primeiros cuidados de um médico a bordo e transferido para outro navio com câmara de refrigeração. Nenhum corpo encontrado estava atrelado a uma peça da aeronave, segundo o comandante da corveta. O resgate ocorreu a cerca de 1.270 km de Natal, em uma raio de 240 km.

A corveta está atracada no berço 2 do porto e o assessor de comunicação social da Marinha, capitão-de-fragata Giucemar Tabosa, recepcionou o comandante da embarcação, o comadante Taumarturgo Pavoni. A corveta saiu para a missão no dia 1º de junho. A embarcação contou com dois mergulhadores, um nadador e 51 homens a bordo.

AP
Destroços do Airbus chegam ao Recife nesta sexta-feira

Reforços

A fragata Bosísio, que está em Natal para manutenção de rotina, deve seguir para a área de buscas nesta tarde. De acordo com o capitão-de-fragata Giucemar Tabosa, ja foram mobilizados para as buscas 10 embarcações brasileiras e mais de 800 militares. Segundo a Marinha, as buscas serão reforçadas com a chegada de mais três navios. Além da fragata Bosísio, o navio  de Desembarque-Doca Rio de Janeiro oriundo do Haiti, com mais de 300 homens, chega ao local das buscas neste sábado (20) e o navio Bocaina, de Belém, ainda não há data para ser deslocado. Neste momento, quatro navios brasileiros estão em busca de corpos e destroços.

Ainda nesta sexta-feira, as equipes de buscas fazem a segunda avaliação, dessa vez presencial, para definir a logística e o seguimento da operação. Nesta quinta-feira, o Comando da Marinha e o Comando da Aeronáutica informaram que foram avistados e recolhidos destroços no mar.

Até o momento foram recolhidos 50 corpos, sendo que 49 estão sendo identificados no IML do Recife. Um corpo e despojos (partes de corpos) ainda está a bordo do navio-tanque Gastão Motta, que não tem previsão de seguir para o arquipélago de Fernando de Noronha.

Identificação

Fontes ligadas ao IML confirmaram ao Jornal do Commercio, de Pernambuco, que cinco corpos já teriam sido identificados, sendo dois brasileiros do sexo masculino. Não foram dados detalhes sobre os outros três. Nenhuma das famílias das cinco vítimas identificadas teriam sido informadas, o que deve acontecer neste final de semana, segundo o jornal. A expectativa é que a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco (SDS) informe sobre o resultados da identificação na próxima semana. De acordo com a assessoria de imprensa da SDS, a informação sobre identificação só será dada depois de repassada para as famílias.

As informações pessoais da maioria dos 61 franceses que viajavam na aeronave também foram disponibilizadas pela polícia da França e estão sendo checadas pelos peritos. Além de brasileiros e franceses, o avião da Air France levava passageiros de outras 30 nacionalidades. Ainda faltam dados de vítimas de vários países.


Entenda

Dor das famílias

Vídeos

Fotos

Leia também

    Leia tudo sobre: avião

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG