Comando da Aeronáutica confirma ter avistado novos destroços do voo 447

RECIFE - O Comando da Marinha e o Comando da Aeronáutica anunciaram na manhã desta sexta-feira (12) ter avistado mais destroços do acidente com o Airbus A330 da Air France. Entretanto, nos trabalhos de hoje, não foram localizados novos corpos.

Redação |

"Hoje as nossas buscas foram direcionadas para os locais mais prováveis, um pouco a oeste dos pontos onde estávamos ontem realizando as buscas", afirmou Ramon Cardoso, diretor do Departamento de Controle do Espaço Aéreo da FAB. "Já tivemos informação de avistamento de destroços e os navios estão sendo direcionados para o local", completou. 

A procura é realizada numa área de 65 a 70 km de raio a partir do local onde houve o último contato da aeronave antes do acidente, mesmo local onde se concentram as buscas por corpos e destroços. A profundidade na área é de cerca de 3.500 metros.

AFP
Primeiros destroços serão avaliados por peritos franceses em Recife

Segundo Cardoso, não houve localização de corpos nesta sexta-feira, embora ainda haja chances de avistamento de novos corpos. "Até o dia 20 ainda seria possível, teoricamente, encontrar (corpos)", disse. Ele explicou que a FAB não fará a análise dos destroços, trabalho que será realizado por técnicos franceses. "Apenas o pessoal técnico vai poder fazer essa identificação das peças."

No próxima dia 14, um técnico francês chegará ao Brasil para fazer uma perícia inicial das peças e avaliar se os destroços serão levados para a França ou se a perícia completa será realizada em território brasileiro.

Os objetos avistados já estão em águas brasileiras, segundo os Comandos da Aeronáutica e da Marinha. Ontem, foram localizados mais três corpos, na área de Dacar, no Senegal. 

"A meteorologia indica uma acentuada piora das condições de tempo e visibilidade na área de buscas, o que poderá comprometer os trabalhos. Mesmo com as limitações meteorológicas, as buscas continuarão a ser realizadas, sempre nas áreas que ofereçam condições de voo visual à baixa altura. As condições do mar são favoráveis, com ondas de até um metro de altura", informou a Força Aérea Brasileira.

As duas aeronaves francesas que auxiliavam os trabalhos de buscas não estão em operação nesta sexta-feira. Os equipamentos passam por um trabalho "planejado" de manutenção, segundo as autoridades brasileiras.  

Primeiros destroços

Trinta e sete peças dos destroços do voo 447 encontrados pelas equipes de buscas desembarcam no Recife nesta sexta-feira (12). O material será trazido de Natal, onde a fragata Grajaú atracou na última quinta-feira (11) com as peças, pela aeronave C 130 da FAB e será colocado à disposição dos investigadores franceses. Uma parte da cauda do avião encontrada no mar é vista por especialistas como importante para a investigação.

Entre as peças recolhidas, existem algumas íntegras e sem nenhum sinal aparente de fogo. Há uma maleta laranja plástica intacta, garrafas de água mineral, pedaços de assentos da tripulação, máscaras de oxigênio, algumas peças de madeira e um grande pedaço da fuselagem da aeronave.

"Todos os destroços têm uma relevância muito grande, porque a análise deles permite aos investigadores identificar, ou pelo menos ter um auxilio para identificar, qual foi a causa do acidente", disse o brigadeiro Ramon Cardoso.

AP
Parte do Airbus recolhida do mar

Identificação de corpos

Dos 44 corpos encontrados, 16 estão no IML do Recife, 25 estão sendo pré-identificados em Noronha e três, à bordo da fragata Constituição que deve chegar na madrugada deste sábado (13) em Fernando de Noronha.

Depois de passar por Fernando de Noronha, a fragata Constituição deve chegar ao Porto do Recife, no Bairro do Recife, com mais destroços do voo neste domingo (14), quando fará o reabastecimento.

*Com informações das Agências Estado e Reuters 

Entenda

Dor das famílias

Vídeos

Fotos

Leia também

Leia mais sobre: voo 447

    Leia tudo sobre: voo 447voo477

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG