caminha para ser um mistério da aviação , afirma especialista - Voo 447 Air France - iG" /

Caso da Air France caminha para ser um mistério da aviação , afirma especialista

O coordenador do Grupo de Análise de Risco da Coppe, um dos maiores centros de ensino e pesquisa em engenharia da América Latina, Moacyr Duarte, afirmou que o provável acidente envolvendo o airbus 330 da Air France é tão intrigante que caminha para ser um dos maiores mistérios da aviação. Ele explica que 96% dos acidentes ocorrem no pouso ou na decolagem. Apenas em 4% dos casos, temos acidentes durante o voo. No caso de um avião de grande porte, então, esse número cai para 1%. Para ele, tempestades e raios, por si só, não explicam o acidente. Algo tem que ter ocorrido dentro da aeronave.

Redação |

Veja no infográfico a rota do airbus avião da Air France desaparece

"Quando há um raio, ele literalmente passa pelo avião sem afetá-lo. Quanto às variações atmosféricas, ele tem como evitar. E é bom lembrar que, duas horas antes dele, passou por lá um outro avião, que repassou informações sobre as condições do tempo", argumentou. Ele prefere não arriscar hipóteses sobre o que houve, mas explica o que ocorreria se um raio rompesse a estrutura externa da aeronave.

"Algum defeito estrutural poderia permitir que a carga elétrica de um raio entrasse no avião e penetrasse nos sistemas. Isso provocaria uma pane geral". De qualquer forma, ele é enfático. "Tem que ser o elemento atmosférico mais alguma coisa, senão não cairia".

Além disso, ele aposta que o piloto tenha, no mínimo, desmaiado antes do avião cair na água. "A falhha ocorrida foi de natureza catastrófica. O operador ficou incapacitado, pois, como um mínimo de condições, teria aberto o sinal de emergência. Ele não conseguiu nem apertar um botão em cima do painel. Algo tem que ter acontecido antes do avião cair".

Moacyr Duarte prefere, no entanto, aguardar mais evidências antes de prosseguir na avaliação. Explica, por exemplo, que, "se comprovarem que essa mancha de 5 km de destroços é realmente do avião da Air France, isso quer dizer que não houve uma explosão no ar. Uma explosão em altitude, por exemplo, iria espalhar pedaços por uma distância muito grande, coisa que parece não ter ocorrido". Por outro lado, se uma nova "mancha" de destroços for encontrada, ele aposta que poderia ter ocorrido a explosão. "De qualquer forma, vamos ter que calcular a corrente para excluir hipóteses".

Saiba mais:

Passageiros e relatos

Vídeos:

Leia também:

Leia mais sobre viagem aérea

    Leia tudo sobre: acidente aéreo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG