Caixa preta não é responsabilidade da Aeronáutica

O comando da Aeronáutica e da Marinha afirmou, agora à noite, que a busca pela caixa preta do avião da Air France A330 não é responsabilidade da Aeronáutica. De acordo com nota conjunta pelos militares, por volta das 16h, após uma nova varredura realizada pelo avião AR-99 - próxima à área onde os corpos haviam sido localizados, pela manhã, foram identificados novos materiais.

Agência Estado |


Segundo o tenente coronel Henry Munhoz, do centro de Comunicação da Aeronáutica, teriam sido resgatados "um pedaço metálico pertencente a asa do Airbus e poltronas". No entanto, o coronel não especificou a quantidade e nem o estado das peças.

Perguntado sobre a presença do cônsul-geral da França, Yves Lo-Pinto, Munhoz limitou-se a dizer que "a presença do cônsul é algo de um cenário político e nós só nos pronunciamentos sobre questões operacionais"

Yves Lo-Pinto chegou, hoje à tarde, a sede do Cindacta III, em Recife, onde se reuniu com o comando da operação. De acordo com informações não oficiais, antes de chegar ao Cindacta III, Yves Lo-Pinto teria estado por três horas na sede do Instituto de Medicina Legal de Pernambuco.

Policiais de Pernambuco participaram de uma operação que isolou a área onde está localizado o IML. Homens armados e viaturas da Polícia Civil fecharam os acessos do local.

A aeronave da Air France desapareceu no Oceano Atlântico com 228 pessoas a bordo durante o trajeto Rio de Janeiro-Paris. De acordo com a companhia e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), 58 brasileiros embarcaram na aeronave. O último contato do Airbus ocorreu às 23h14 de domingo passado.

Veja vídeo sobre voo 477:

Entenda

Dor das famílias

Vídeos

Fotos

Leia também

    Leia tudo sobre: voo 477

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG