Justiça condena Air Franca a pagar R$ 1,6 milhão por danos morais a parentes de Luciana Seba, vítima do acidente com o voo 447

A Air France foi condenada nesta quarta-feira a pagar R$ 1,6 milhão por danos morais aos parentes da passageira Luciana Seba, que tinha 31 anos de idade quando morreu. Ela estava no Airbus que fazia o voo AF 477, entre o Rio de Janeiro e Paris, que caiu no Oceano Atlântico na noite de 31 de maio de 2009, matando 228 pessoas.

A decisão foi da 11ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ). Também foi decidido o pagamento de R$ 5 mil mensais de pensão por danos materiais à mãe da passageira, até quando Luciana completasse 70 anos de idade, o que dará um total de R$ 2,340 milhões.

O advogado da família, João Tancredo, considerou razoável o valor estipulado pela Justiça e disse que não iria contestar, a não ser que a empresa francesa recorra. Ele considerou o julgamento emblemático para as demais causas que tramitam na Justiça. “Esse é o primeiro julgamento no mundo por um tribunal. Abre um precedente gigantesco. Mas valor nenhum paga o sofrimento.”

A quantia estipulada foi R$ 600 mil para cada um dos pais de Luciana e R$ 200 mil para cada uma das avós da vítima. Segundo Tancredo, a Justiça negou o pedido da Air France, que pleiteava reduzir as indenizações para R$ 20 mil a R$ 100 mil para os pais, excluir as avós e não pagar pensão à mãe.

A Air France foi procurada por meio de sua assessoria, que alegou não poder se pronunciar pelo fato da empresa estar sendo alvo de investigação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.