Visita de Serra não altera campanha de Marconi

Ex-governador ignora presidenciável tucano no programa eleitoral, mas prefere o silêncio como resposta a Lula

Rodrigo Vianna, iG Goiânia |

A visita de José Serra (PSDB) a Goiânia no próximo sábado (11) não vai alterar o itinerário ou a propaganda eleitoral de Marconi Perillo (PSDB) no rádio e na TV.

Enquanto Iris Rezende (PMDB) já usou gravações do comício de segunda-feira com Lula e Dilma nos programas de hoje, Marconi inalterado seu programa eleitoral, isto é, nada de Serra. 

Na entrevista e nos programas eleitorais de hoje, Marconi poupou Lula de críticas e evitou responder os ataques do petista no comício de segunda-feira em Valparaiso.

A atitude é bem diferente daquela de agosto de 2009, quando o senador tucano convocou coletiva de imprensa um dia após a passagem de Lula a Goiânia.

“Nosso espaço na TV já é pequeno, e ele (Serra) já tem o espaço dele”, justificou Antonio Faleiros, um dos coordenadores da campanha do tucano.

Carlos Maranhão, responsável pelos programas do PSDB no rádio e na TV confirma. “Não vamos esconder o Serra, mas não existe a necessidade e federalizarmos a campanha. A disputa é entre candidatos locais”.

Maranhão joga a polêmica no colo dos adversários. “Eles têm que se apoiar em alguém de fora. Um está em queda e o outro patina nos 10%. Já o nosso puxador de votos é o próprio Marconi”.

A falta de empenho fica clara na agenda de Serra em Goiás. Às 14hs ele terá encontro com agentes de saúde em Goiânia e depois segue em carreata para Piracanjuba, a 83 quilômetros da capital.

Segundo os coordenadores, o evento com os agentes de saúde foi marcado pelo próprio comitê de Serra e a carreata em Piracanjuba já estava marcada. “O Serra vai acompanhar a agenda de Marconi”, afirma Faleiros.

Marconi Perillo deu a versão dele para estar à frente nas pesquisas mesmo quando a intenção de votos para presidente dá vantagem à petista Dilma Rousseff.

“A eleição presidencial é distante da estadual. Mesmo os eleitores que gostam de Lula me apóiam. Eles não querem votar de cabresto, achando que são mandados”, explicou em entrevista à Rádio Mil.

Pesquisa Grupom/Rádio 730 divulgada na sexta-feira (3) mostra diferença de 16 pontos percentuais entre Marconi (46,8%) e Iris (47,3%).

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG