Somewhere, de Sofia Coppola, é o vencedor do Leão de Ouro

Alex de la Iglesia venceu o Leão de Prata de melhor diretor, e Vincent Gallo foi eleito o melhor ator

Mariane Morisawa, enviada especial a Veneza |

Divulgação
Stephen Dorffem e Elle Fanning em cena de Somewhere, grande vencedor do Festival de Veneza
Somewhere , de Sofia Coppola, foi anunciado como ganhador do Leão de Ouro do 67º Festival de Veneza, em cerimônia na noite deste sábado 11, no Palazzo del Cinema, no Lido. “Este filme nos conquistou desde a primeira cena e só foi crescendo ao longo da projeção”, disse Quentin Tarantino.
O Leão de Prata de melhor direção foi para o espanhol Alex de la Iglesia, pelo filme Balada Triste de Trompeta . “Não quero ser chato”, disse o cineasta, ajoelhando-se em seguida e virando-se ao júri. Essential Killing , dirigido por Jerzy Skolimowski, ganhou o Prêmio Especial do Júri.

Os jurados também concederam um Leão de Ouro especial pelo conjunto da obra para Monte Hellman, que apresentou Road to Nowhere no festival. “Eu considero este meu primeiro filme, todos os outros foram uma preparação”, disse o cineasta.

A Coppa Volpi de melhor ator ficou com Vincent Gallo , pelo longa-metragem Essential Killing , de Jerzy Skolimowski. O diretor subiu ao palco para receber o troféu. “Tenho certeza de que ele agradeceria a seu diretor”, brincou Skolimowski. A vencedora da Coppa Volpi de melhor atriz foi Ariane Labed, do filme grego Attenberg , de Athina Rachel Tsangari. “Não esperava esse prêmio, para mim é um momento fantástico”, disse a atriz. O prêmio Marcello Mastroianni para jovem ator ou atriz foi Mila Kunis, por Black Swan , que agradeceu por meio de um vídeo, pois está em Los Angeles.

Para o júri, o melhor roteiro foi de Alex de la Iglesia, pelo filme Balada Triste de Trompeta . O Osella de melhor contribuição técnica foi para a fotografia de Mikhail Krichman, pelo russo Silent Souls , de Aleksei Fedorchenko.

O júri da competição do 67º Festival de Veneza foi presidido pelo cineasta norte-americano Quentin Tarantino e integrado pelo roteirista e diretor mexicano Guillermo Arriaga, pelo diretor francês Arnaud Desplechin, pelo compositor americano Danny Elfman, pelos cineastas italianos Gabriele Salvatores e Luca Guadagnino e pela atriz lituana Ingeborga Dapkunaite.

O Prêmio Luigi de Laurentiis, para melhor cineasta estreante entre todas as mostras oficiais e paralelas de Veneza, foi para Cogunluk , do turco Seren Yüce. O júri do Prêmio Luigi de Laurentiis era presidido por Fatih Akin e formado por Nina Lath Gupta, Stanley Kwan, Samuel Maoz e Jasmine Trinca.

O júri da mostra Horizontes, presidido por Shirin Neshat e formado por Raja Amari, Lav Diaz, Alexander Horwath e Pietro Marcello, concedeu o prêmio principal de longa-metragem para Verano de Goliat , de Nicolás Pereda, do México. O Prêmio Especial do Júri foi para The Forgotten Space , de Noel Burch e Allan Sekula, da Holanda. O melhor curta-metragem foi Coming Attractions , de Peter Tscherkassy, da Áustria. O israelense Tse , de Roee Rosen, foi escolhido o melhor média. Jean Gentil , de Israel Cárdenas e Amélia Laura Guzman, da República Dominicana, levou menção especial.

    Leia tudo sobre: Festival de Veneza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG