“Shame” é segundo candidato forte ao Leão de Ouro

Filme de Steve McQueen fala de homem bem-sucedido com problemas sexuais

Mariane Morisawa, enviada especial a Veneza |

Artista plástico dos mais reconhecidos, Steve McQueen estreou no cinema com o forte “Hunger”, que levou o Caméra D’Or, para debutantes, no Festival de Cannes . Agora, ele volta na competição principal, mas do Festival de Veneza , com “Shame”, exibido na manhã deste domingo (4), em sessão para jornalistas.

Siga o iG Cultura no Twitter

O filme recebeu muitos aplausos, mas também algumas incompreensíveis vaias. “Shame” é o segundo candidato sério ao Leão de Ouro, junto com “A Dangerous Method” , de David Cronenberg. Coincidentemente, ambos são protagonizados por Michael Fassbender.

O talentoso ator trabalha pela segunda vez com McQueen, responsável por revelá-lo ao mundo. Ele interpreta Brandon, um sujeito bem-sucedido, que mora num apartamento incrível em Nova York e tem acesso a tudo. Mas Brandon é um homem com problemas de intimidade que se refugia no sexo. As coisas pioram quando sua irmã (Carey Mulligan) chega à cidade de surpresa.

McQueen lida com personagens problemáticos e controversos, mas jamais deixa de tratá-los como seres humanos ou perde a elegância. Ao mesmo tempo, nunca se torna irrelevante ou frívolo. O filme tem a força necessária para um festival como esse, inclusive em termos de imagem.

Na coletiva de imprensa que se seguiu à exibição, o diretor afirmou que não vê seu personagem como um homem repulsivo. “Amo aquele homem. Ele está tentando. Não é um homem mau. É pouco familiar, mas também reconhecível por nós.” Ele também comentou sua relação com Fassbender. “É meio uma história de amor. Porque o amor não acontece todos os dias. Vai ser difícil fazer um filme sem ele.”

null

    Leia tudo sobre: festival de veneza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG