Festival de Veneza faz homenagens a Marco Bellocchio e Al Pacino

Diretor recebe Leão de Ouro pela carreira e apresenta nova versão de 'Nel Nome Del Padre', enquanto o ator mostra 'Wilde Salome'

Mariane Morisawa, enviada especial a Veneza |

Todo ano, o Festival de Veneza escolhe um grande homenageado, que ganha o Leão de Ouro pelo conjunto da carreira. Na sua 68ª edição, o premiado é o italiano Marco Bellocchio, diretor de "Bom Dia, Noite" e "Vincere", entre outros, e um dos nomes mais fortes e atuantes do cinema italiano hoje.

O diretor do festival, Marco Müller, escreveu sobre o cineasta: "Com cada novo filme, Bellocchio te leva para uma outra direção, diferente das que você pensava já ter alcançado e descoberto". A cerimônia acontece na sexta-feira (9), data em que será exibida uma nova versão de "Nel Nome Del Padre", de 1971, uma "versão do diretor" que tem 15 minutos a menos do que a originalmente lançada.

Siga o iG Cultura no Twitter

"Não era uma ideia fixa, mas ao longo desses anos eu recorrentemente tinha a vontade de mexer no filme, porque me convenci de que ele não tinha encontrado sua forma definitiva", explicou Bellocchio em comunicado. "Senti a necessidade, que no passado não tinha (por medo de ser politicamente ambíguo, ou talvez pela falta de uma visão geral), de libertar as imagens, de liberá-las de seu sufocante peso ideológico", completou.

Já o ator e diretor Al Pacino foi o escolhido para ganhar o prêmio Jaeger-Le Coultre Glória ao Cineasta, dedicado a artistas que deixaram uma marca original no cinema contemporâneo. Diretor de "Looking for Richard" (1996), ele agora apresenta "Wilde Salome", um documentário que considera seu projeto mais pessoal e que convida o público a seu mundo privado enquanto ele explora a peça “Salomé”, de Oscar Wilde, o próprio escritor e o nascimento de uma estrela, a atriz Jessica Chastain.

O festival também comemora o centenário de nascimento de Nicholas Ray (1911-1979), diretor de "Johnny Guitar", "Juventude Transviada" e "O Rei dos Reis", entre outros, com a exibição de "We Can't Go Home Again", que ele fez com seus alunos na Binghamton University e continuou editando até sua morte.

O documentário "Don't Expect Too Much", realizado por sua última mulher, Susan Ray, também será exibido. Ela ainda participa de uma mesa-redonda sobre seu marido, ao lado do ator James Franco, do diretor Victor Erice, do artista e diretor Douglas Gordon e do ator Henry Hopper, filho de Dennis Hopper, grande amigo do homenageado.

    Leia tudo sobre: Festival de Venezaal pacinobellocchionicholas ray

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG