Detective Dee mistura filme de investigação e artes marciais

Longa-metragem de Tsui Hark impressiona pelas cenas de luta, mas parece escolha deslocada em festival

Mariane Morisawa, enviada especial a Veneza |

Divulgação
Detetive Dee investiga o "mistério da chama fantasma": acrobacias no ar
O diretor chinês Tsui Hark transformou uma história bem conhecida do país em uma extravagante mistura de filme de investigação, artes marciais e drama em Di Renjie Zhi Tongtian Diguo ( Detective Dee and the Mystery of Phantom Flame ), exibido em sessão para jornalistas na manhã deste domingo (5), na competição do 67º Festival de Veneza.

Na história passada em 690 d.C., Dee (Andy Lau), preso porque liderou complô contra Wu Zetian (Carina Lau), que está prestes a ser coroada a primeira imperatriz da China, é resgatado por ela quando pessoas ligadas à construção de um Buda gigante começam a pegar fogo. Ele se junta à empregada que é o braço direito da nova imperatriz (Li Bingbing) e a um investigador albino (Deng Chao) para desvendar o caso, cheio de reviravoltas.

Reuters
O diretor Tsui Hark é só alegria ao ser beijado por duas atrizes do filme
O filme tem potencial para agradar ao presidente do júri, Quentin Tarantino, mas é uma escolha bem incomum para um festival de cinema. Aliás, Veneza está se especializando em exibir produções de gêneros pouco vistos em disputas do tipo, como comédia, ficção científica e longas-metragens de ação.

Detective Dee , que tem bela direção de arte, revela muita habilidade de Hark nas impressionantes cenas de luta, a maior parte no ar e envolvendo piruetas. Mas também acrescenta personagens mais delineados e mais suspense, coisas pouco comuns em filmes chineses desse tipo. Entretanto, é difícil não parecer uma escolha um tanto deslocada para um festival de cinema, com chances menores de levar prêmios.

Na coletiva de imprensa do início da tarde, diretor e elenco falaram sobre a produção. “Quisemos fazer uma versão totalmente diferente dessa história”, disse Tsui Hark sobre as figuras históricas da Dinastia Tang. “Gosto muito de filmes de artes marciais e queria usar o máximo de criatividade e criar uma trama bastante complexa”, afirmou.

O diretor pediu aos atores para relacionarem seus personagens com animais. Deng Chao, que faz o investigador albino, inspirou-se num leopardo. Andy Lau pensou em um macaco, “inteligente e mais parecido com um ser humano”. O ator está participando pela primeira vez de um festival de cinema. “Parece que demorou muito!”, disse, sobre a exibição de um filme deste tipo na competição. “Estou muito feliz, não importa o que aconteça.”

    Leia tudo sobre: tsui harkdetective deefestival de veneza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG