Filmes de Sofia Coppola, Darren Aronofsky, Vincent Gallo e Julian Schnabel estão entre os concorrentes no Festival de Veneza

Natalie Portman em
Divulgação
Natalie Portman em "Black Swan", de Darren Arofnovsky, o filme de abertura do festival
Vem forte a representação norte-americana na competição do 67º Festival de Veneza, que acontece entre 1 e 11 de setembro no Lido . O domínio dos Estados Unidos na busca pelos troféus começa já na abertura , com Black Swan , de Darren Aronofsky, vencedor do Leão de Ouro por O Lutador dois anos atrás. No elenco, estão Natalie Portman, Mila Kunis, Winona Ryder e Vincent Cassel.

Nos outros dias de disputa, passam pelo tapete vermelho de um Palazzo del Cinema em reforma mais cinco produções norte-americanas. Sofia Coppola comparece com Somewhere , seu primeiro longa depois de Maria Antonieta . O polêmico ator e diretor Vincent Gallo , que escandalizou Cannes em 2003 com The Brown Bunny , mostra Promises Written in Water – ele tem um curta-metragem, The Agent , na mostra Horizontes, e participa como ator de Essential Killing , do polonês Jerzy Skolimowski, também em competição. O veterano diretor cult Monte Hellman vem com Road to Nowhere . Já Kelly Reichardt, que fez certo barulho no circuito indie com Wendy and Lucy (2008), volta a trabalhar com Michelle Williams em Meek’s Cutoff . Julian Schnabel, de O Escafandro e a Borboleta (2007), concorre com Miral , co-produção dos Estados Unidos com França, Itália e Israel, estrelada por Freida Pinto e Vanessa Redgrave.

O segundo país com mais participantes, lógico, é a Itália, com quatro representantes: La Pecora Nera , de Ascanio Celestini (ator de Meu Irmão É Filho Único ); La Solitudine dei Numeri Primi , dirigido por Saverio Costanzo e baseado no romance de Paolo Giordano; Noi Credevamo , de Mario Martone; e La Passione , de Carlo Mazzacurati. Já a França compete com Venus Noire , de Abdellatif Kechiche (diretor de O Segredo do Grão) , Potiche , de François Ozon, que volta a trabalhar com Catherine Deneuve, e Happy Few , de Antony Cordier.

Outros nomes conhecidos, como o alemão Tom Tykwer ( Drei ), o espanhol Álex de La Iglesia (), o chinês Tsui Hark ( Detective Dee and the Mystery of Phantom Flame ) e o japonês Takashi Miike ( 13 Assassins ), também disputam o Leão de Ouro. O vietnamita Anh Hung Tran, de O Cheiro do Papaia Verde , dirige o longa japonês Norwegian Wood , baseado no livro de Haruki Murakami. Mas a competição, neste ano, também está recheada de nomes menos populares, como a grega Athina Rachel Tsangari, com Attenberg , o canadense Richard J. Lewis, com Barney’s Version , e o russo Aleksei Fedorchenko, com Ovsyanki . O chileno Pablo Larraín, com Post Mortem , é o único latino-americano da disputa. Um 24º competidor vai ser anunciado no dia 6 de setembro.

Álex de la Iglesia traz palhaços para Guerra Civil Espanhola em
Divulgação
Álex de la Iglesia traz palhaços para Guerra Civil Espanhola em "Balada Triste de Trompeta"
Fora de competição

Como sempre, atrações estreladas estão reservadas para as sessões não-competitivas. A família Affleck está bem representada, com o irmão mais velho Ben exibindo The Town , dirigido e estrelado por ele, ao lado de Rebecca Hall, Jon Hamm, Jeremy Renner e Blake Lively, e o mais novo, Casey, mostrando I’m Still Here , o documentário sobre a nova vida de Joaquin Phoenix, agora rapper. Robert Rodriguez e Ethan Maniquis mostram seu Machete , com Danny Trejo e Jessica Alba, numa sessão da meia-noite no dia da abertura.

O encerramento fica por conta de The Tempest , versão de Julie Taymor ( Across the Universe ) para A Tempestade , de William Shakespeare, estrelada por Helen Mirren. John Woo, que é homenageado com um Leão de Ouro pela carreira, aparece com Reign of Assassins , dirigido em parceria com Su Chao-pin.

Martin Scorsese e Kent Jones apresentam A Letter to Elia , documentário sobre o polêmico diretor Elia Kazan. Para homenagear Dennis Hopper, morto em maio, há a exibição de The Last Movie , filme dirigido pelo ator em 1971. O cineasta brasileiro Andrucha Waddington estreia Lope , co-produção com a Espanha sobre o escritor e dramaturgo Lope de Vega, interpretado por Alberto Ammann.

Horizontes

A mostra, que sempre foi um espaço para filmes mais ousados em termos de linguagem, foi reformulada e passa a abrigar produções experimentais em diversos formatos, inclusive curtas-metragens – Manoel de Oliveira mostra Painéis de São Vicente de Fora, Visão Poética , e o roteirista Guillermo Arriaga aparece com El Pozo . O brasileiro Luiz Pretti exibe O Mundo É Belo , de 9 minutos de duração.

Fora de competição,
Divulgação
Fora de competição, "I'm Still Here" enfoca comportamento bizarro do ator Joaquin Phoenix
A abertura fica por conta do longa-metragem La Belle Endormie , de Catherine Breillat, e o encerramento será com Ok-hui-ui Yeonghwa , dirigido pelo sul-coreano Sang-soo Hong, premiado na mostra "Um Certo Olhar" de Cannes, em 2010, com Ha Ha Ha .

Mostras paralelas

Um curta-metragem dirigido por Jafar Panahi, cineasta iraniano que foi preso neste ano pelo governo de seu país, é a principal atração da "Giornate Degli Autori - Venice Days", mostra paralela ao Festival de Veneza. The Accordion fala de um menino e de uma menina que têm seu instrumento musical confiscado em Teerã. Outros nomes conhecidos do cinema mundial, como Bertrand Blier (com Le Bruit des Glaçons ), Danis Tanovic ( Cirkus Columbia ) e Marion Hänsel ( Noir Océan ), também integram a Jornada dos Autores.

A Semana Internacional da Crítica, por sua vez, conta com Svinalängorna , da atriz Pernilla August, e com produções da Itália ( Notte Italiana , de Carlo Mazzacurati, e Hai Paura Del Buio , de Massimo Coppola), da França ( Angèle et Tony , de Alix Delaporte), da Eslovênia ( Oca , de Vlado Skafar), da Grécia ( Hora Proèlefsis , de Syllas Tzumerkas), do México ( Martha di Marcelino , de Islas Hernández), das Filipinas ( Limbunan , de Gutierrez Mangansakan II) e de uma coprodução Israel-França ( Hitparzut X , de Eitan Zur).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.