Selena Gomez alerta que "Spring Breakers" pode ser "chocante" para fãs

"Faço tudo para meus fãs, mas este trabalho era mais para mim", diz estrela adolescente, que atua ao lado de Vanessa Hudgens e James Franco no filme exibido em Veneza

Mariane Morisawa - enviado especial a Veneza |

Selena Gomez sabe bem que “Spring Breakers” , de Harmony Korine, exibido na noite da terça-feira (4) na competição do Festival de Veneza 2012 , é bem diferente da sua imagem. “Vindo do Disney Channel, você vira um rótulo. Tenho fãs jovens, o filme pode ser chocante para eles, mas era certo para mim. Faço tudo para meus fãs, mas este trabalho era mais para mim”, disse na coletiva de imprensa no início da tarde desta quarta-feira (5).

Acesse o especial do Festival de Veneza

Mas ela sabe que sua personagem, Faith, é a mais certinha e a que passa por menos experiências no longa-metragem. Vanessa Hudgens, Rachel Korine e Ashley Benson, suas colegas de elenco, têm cenas de violência, sexo e um pouco de nudez. “Harmony queria que eu fizesse um dos outros papéis. Achei que não estava pronta. Essa personagem era a escolha certa para o que estou fazendo agora, para o meu momento.”

Divulgação
Selena Gomez e Vanessa Hudgens no filme

Ter Selena Gomez e Vanessa Hudgens era um sonho, segundo o cineasta. “Essas garotas fazem parte dessa cultura e desse mundo. Há muito significado que elas façam parte do filme.” Hudgens disse que foi incrível receber o roteiro. “É algo que jamais pensei em participar. Aceitei porque era uma história que nunca tinha sido feita.”

Leia também:  "Spring Breakers" explora corpos de Vanessa Hudgens e Selena Gomez

A trama surgiu a partir de uma imagem de garotas de biquíni e máscara assaltando turistas na praia, que apareceu na cabeça do diretor e roteirista. “O filme é sobre a nova geração, sem alma. É uma nova visão. São garotos criados no videogame, na televisão. O passo entre assistir aquilo na tela e agir é muito pequeno.”

Admirador de Terrence Malick , ele procurou fazer uma “narrativa líquida, mais sensorial, um ataque de sons e imagens, um poema pop”.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG