Festival de Veneza recebe vários filmes dirigidos por mulheres

Lucrecia Martel, Sarah Polley e Giada Colagrande exibirão longas no evento italiano

Mariane Morisawa - enviada especial a Veneza |

Divulgação
Cena de 'Stories We Tell', de Sarah Polley

Muita gente reclamou quando a seleção de Cannes deste ano trouxe zero mulheres entre suas selecionadas. Mas o Festival de Veneza está aí para redimir os festivais, especialmente na mostra independente Jornada dos Autores.

No programa “Women’s Tales”, há curtas-metragens – financiados pela grife MiuMiu – de Lucrecia Martel (“Muta”), Massy Tadjedin (“It’s Getting Late”), Maya Deren (“Meshes of the Afternoon”), Zoe Cassavetes (“The Powder Room”) e Giada Colagrande (“The Woman Dress”). Aliás, a italiana, que é mulher do ator Willem Dafoe e esteve no Festival do Rio no ano passado com “Uma Mulher” , também exibe o documentário “Bob Wilson’s Life and Death of Marina Abramovic”, sobre a ópera baseada na biografia da artista plástica feita em conjunto com o grande diretor teatral Bob Wilson, o músico Antony Hegarty (do Antony and the Johnsons) e o ator Willem Dafoe.

Na seleção oficial, a atriz palestina Hiam Abbass estreia na direção de longas com “Heritage”, sobre conflitos familiares em meio à guerra entre Israel e Líbano. Já a atriz e diretora canadense Sarah Polley apresenta um trabalho que desafia gêneros, “Stories We Tell”, ao investigar uma família de belos contadores de histórias. A islandesa Sólveig Anspach dirige a produção francesa “Queen of Montreuil”, uma comédia sobre uma mulher tentando refazer a vida depois da morte do marido. “Keep Smiling”, primeiro longa da georgiana Rusuda Chkonia, gira em torno de um concurso de beleza que representa muito para as famílias pobres das concorrentes.

Leia também: Competição do Festival de Veneza ignora filmes latino-americanos

A Jornada dos Autores ainda apresenta “Terramatta”, de Costanza Quatriglio, sobre a história italiana no século 20, em sessão especial, e o curta “My Friend Johnny”, de Alessandra Cardone, no segmento “Venice Nights”, sobre a loucura em que se transformou Veneza quando Johnny Depp passou pela cidade para filmar “O Turista”.

Mesmo na competição oficial, há duas mulheres: Valeria Sarmiento (“Linhas de Wellington”) e Francesca Comencini (“Un Giorno Speciale”). Fora da competição, a dinamarquesa Susanne Bier vem com “Love is All You Need”, e a indiana Mira Nair abre o evento com “The Reluctant Fundamentalist”. A veterana Liliana Cavani exibe o documentário em curta-metragem “Clarisse”.

    Leia tudo sobre: festival de venezacinema

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG