Vanderlan e Iris se unem para atacar Marconi

Vanderlan Cardoso (PR) e Iris Rezende (PMDB) adotam estratégia de direcionar perguntas ao tucano, durante debate na TV

Rodrigo Vianna, iG Goiânia |

A estratégia dos candidatos ao governo de Goiás foi deflagrada durante o debate organizado, ontem à noite, pela TV Brasil Central, e consistiu em direcionar todas as perguntas ao tucano.

Vanderlan abriu a “dobradinha” ao perguntar a Iris sobre os gastos da Celg de R$ 66 milhões em publicidade em 2005, época em que Marconi era governador.

Na réplica, Vanderlan adicionou a multa de R$ 11 milhões determinada pela Aneel por propaganda não-essencial por parte da Companhia.

Na tréplica, Iris condenou o fato da Celg ter contraído empréstimos em instituições que praticam juros acima do mercado.

Marta Jane (PCB) aproveitou a oportunidade para também atacar Marconi.

A candidata questionou o tucano a respeito da violência policial do Estado em dois episódios: a desocupação da invasão no setor Parque Oeste Industrial e a repressão ao movimento pelo transporte alternativo.

Marta também mirou os três principais candidatos ao dizer que nem a prefeitura de Goiânia na gestão de Iris, nem o governo Alcides Rodrigues (PP), aliado de Vanderlan, nem os governos do PSDB cumprem o pagamento do salário mínimo dos professores, instituído por lei.

Com os ataques dos adversários, sobrou a Marconi Perillo firma inédita parceria com Washington Fraga (PSOL) para atacar Iris e Vanderlan.

Marconi criticou a morte de animais no Zoológico e a extinção de programas sociais como o Banco do Povo e o Cidadão 2000, na gestão de Iris.

O candidato do PSDB também voltou artilharia contra o governo estadual – hoje sob o comando de seu ex-vice e agora desafeto Alcides Rodrigues – que não teria honrado compromissos de construção de hospitais e de término do Centro Cultural Oscar Niemeyer.

    Leia tudo sobre: Eleições GOEleições Marconi

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG