O tesoureiro do PT e ex-presidente da Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop), João Vaccari Neto, afirmou hoje, em depoimento à CPI das ONGs no Senado, que só aceita participar de acareação com o doleiro Lúcio Bolonha Funaro se for convocado e não convidado. Diante da declaração, o senador ¿?lvaro Dias (PSDB-PR) se apressou em apresentar um requerimento, que deverá ser votado pelos integrantes da comissão na semana que vem.

O tesoureiro do PT e ex-presidente da Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop), João Vaccari Neto, afirmou hoje, em depoimento à CPI das ONGs no Senado, que só aceita participar de acareação com o doleiro Lúcio Bolonha Funaro se for convocado e não convidado. Diante da declaração, o senador ¿?lvaro Dias (PSDB-PR) se apressou em apresentar um requerimento, que deverá ser votado pelos integrantes da comissão na semana que vem.

Vaccari apresentou hoje informações diferentes de Funaro, que depôs na semana passada. Ele rechaçou que tenha se reunido mais de uma vez com o doleiro para tratar de operações financeiras.

Funaro disse ter se encontrado com Vaccari "algumas vezes". Dias afirmou ter informações seguras de que o petista e o doleiro "se encontraram uma vez na sede do Sindicato dos Bancários de São Paulo e outras três vezes no sede da Bancoop".

No depoimento de hoje, Vaccari negou irregularidades na Bancoop, bem como o desvio de recursos da cooperativa para abastecer campanhas do PT.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.