Tucano e petista prometem vetar 'ficha-suja'

Os presidentes nacionais do PSDB e do PT firmaram hoje, em debate promovido pelo Grupo Estado, o compromisso de não lançar nestas eleições candidatos que tenham sido condenados pela Justiça, conforme prevê o projeto de iniciativa popular "Ficha Limpa". O dirigente tucano Sérgio Guerra consignou: "Não vamos ter ninguém no PSDB com ficha suja.

iG São Paulo |

Os presidentes nacionais do PSDB e do PT firmaram hoje, em debate promovido pelo Grupo Estado, o compromisso de não lançar nestas eleições candidatos que tenham sido condenados pela Justiça, conforme prevê o projeto de iniciativa popular "Ficha Limpa".

O dirigente tucano Sérgio Guerra consignou: "Não vamos ter ninguém no PSDB com ficha suja." O líder petista José Eduardo Dutra endossou: "Nós também. Aplicamos a ficha limpa desde a fundação do partido." As afirmações provocaram risos na plateia que acompanhava o evento, na sede do jornal O Estado de S.Paulo, na zona norte da capital paulista.

Apesar de afirmarem que seus partidos já vêm trabalhando para barrar os 'fichas-suja', os líderes não souberam explicar em detalhes, em entrevista após o evento, como colocarão em prática a promessa feita hoje. Ambos citaram o projeto "Ficha Limpa" como referência, vetando quem foi condenado em segunda instância, em órgãos colegiados.

Guerra disse que tomará como base as listas de pleiteantes a candidato das executivas estaduais do PSDB. "Não é difícil de funcionar. É ver as nominatas em cada Estado e fazer uma avaliação das indicações", disse o tucano.

Dutra afirmou que a executiva nacional do PT conhece a ficha de seus candidatos. "Todos os candidatos são conhecidos no partido, não tem quem caia de paraquedas, que você não conheça a ficha pregressa. Entre os candidatos a deputados federais eu não conheço ninguém que já tenha sido condenado nas condições do projeto (Ficha Limpa)", disse o petista. Segundo ele, para se lançar pelo PT, a pessoa assina o "Compromisso do Candidato Petista", em que já há a declaração de que não foi condenado pela Justiça.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG