TJMS afasta vereadores e vice-prefeito de Dourados

Afastamento dos parlamentares deve vigorar por 90 dias, por determinação do desembargador Rubens Bossay

Alessandra Messias, iG Campo Grande |

O desembargador Rubens Bossay afastou por 90 dias, nove vereadores e o vice-prefeito de Dourados, Carlinhos Cantor, que estão sendo investigados pela Polícia Federal por participar de um esquema de desvio de dinheiro público.

Mesmo afastados, todos os parlamentares continuam recebendo salário. Os vereadores ganham R$ 6,6 mil e o vice-prefeito R$ 9,9 mil. No despacho feito por meio de liminar, o desembargador aponta que o afastamento deles pode ser prorrogado.

Na decisão anterior feita em primeira instância, o pedido foi negado pelo juiz Carlos Alberto Rezende Gonçalves, da 4ª Vara Civil de Dourados.

Ele rejeitou a denúncia por improbidade administrativa contra os vereadores, após a Operação Uragano que mostrou que além do salário, os parlamentares ganhavam R$ 10 mil por cobrar propina de empresas privadas.

O desembargador retornou o processo para Dourados para prosseguir a ação de improbidade.

Estão afastados a partir de hoje da Câmara de Vereadores Sidlei Alves (DEM), Aurélio Bonatto (PDT), Edvaldo Moreira (PDT), Humberto Teixeira Júnior (PDT), José Carlos Cimatti (PSB), Zezinho da Farmácia (PSDB), Júlio Artuzi (PRB) – tio de Ari Artuzi-, Marcelo Barros (DEM) e Paulo Henrique Bambu (DEM).

O pedido atendido pelo desembargador ocorreu por meio de um recurso do Ministério Público Estadual contra a sentença dada pelo juiz Carlos Alberto Rezende.

Porém, o julgamento definitivo deverá ser feito pelo juiz, quando o processo voltar para a 4ª Vara Civil de Dourados.

Para o MPE o afastamento ocorre porque nas investigações os vereadores foram filmados recebendo dinheiro do prefeito Ari Artuzi para facilitar a aprovação das matérias propostas por ele.

Dos 12 vereadores de Dourados, nove estão afastados e outros dois são suspeito de participar do esquema, no entanto, não foram afastados pelo desembargador.

A presidente da Câmara, Délia Razuk (PMDB), não aparece nas denúncias e pode assumir a prefeitura de Dourados nos próximos dias.

    Leia tudo sobre: Eleições MSEleições Dourados

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG