O Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo concedeu habeas-corpus a quatro vereadores de Barrinha, no interior de São Paulo, presos no sábado acusados de corrupção. Eles estavam presos temporariamente e foram soltos na noite de ontem.

O Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo concedeu habeas-corpus a quatro vereadores de Barrinha, no interior de São Paulo, presos no sábado acusados de corrupção. Eles estavam presos temporariamente e foram soltos na noite de ontem.

Os vereadores são investigados por suposta cobrança de propina para alteração de regras para instalação de postos de combustíveis na cidade. O comerciante Mituo Takahashi gravou, em vídeo, conversa com Carlos Alexandre Alves Borges (PTB), que mencionou que o presidente da Câmara, Antonio Kinoshita (PMDB), teria recebido cheque de R$ 45 mil para aprovar a mudança nas regras.

Kinoshita e Saint Clair Marinho Filho (DEM) foram presos na manhã de sábado e Borges e Jamel Jamil Chukr (PP) se apresentaram na tarde do mesmo dia. Os vereadores negam as acusações.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.