SANTIAGO DO CHILE - O diretor-geral da Polícia de Investigação do Chile (PDI), Marcos Vásquez, aumentou nesta quarta-feira para mais de 500 o número de corpos identificados após o terremoto e o tsunami subsequente que atingiram o http://ultimosegundo.ig.com.br/terremoto-no-chile/centro-sul do país em 27 de fevereiro.

"Há pouco mais de 500 pessoas identificadas, das quais mais da metade já está com sua respectiva certidão de óbito", informou Vásquez após uma reunião com o ministro do Interior chileno, Rodrigo Hinzpeter.

O número difere das 497 vítimas fatais reconhecidas no último relatório oficial, entregue em 8 de março pelo então subsecretário do Interior, Patrício Rosende, antes de Sebastián Piñera assumir a presidência chilena no dia 11.

Segundo Vásquez, a PDI está reunindo informações de outros organismos, como do Corpo de Bombeiros e do Serviço Médico Legal (SML), que devem aparecer na próxima relação oficial de mortos e desaparecidos, prevista para a próxima semana.

O terremoto de 8,8 graus na escala Richter e o posterior tsunami deixaram, além disso, dois milhões de desabrigados.

Leia também:

Leia mais sobre Chile

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.