O empresário Sebastián Piñera tomou posse nesta quinta-feira como presidente do Chile, tendo como http://ultimosegundo.ig.com.br/terremoto-no-chile/2010/03/11/terremoto+redefine+agenda+de+governo+de+novo+presidente+do+chile+9423983.html target=_toptarefa mais urgente reconstruir as regiões afetadas por um dos piores terremotos da história, ocorrido há menos de duas semanas.

Minutos antes de tomar posse, uma série de fortes terremotos voltou a sacudir a capital Santiago e o Congresso , localizado na cidade costeira de Valparaíso. Autoridades estrangeiras demonstraram nervosismo quando o prédio do Congresso tremeu. A Marinha do Chile emitiu um alerta de tsunami para a costa do país.

O recém-empossado chefe de Estado chileno recebeu a faixa presidencial das mãos do presidente do Senado, Jorge Pizarro.


Piñera acena após receber a faixa presidencial de Michelle Bachelet / AFP

A transferência do poder da popular presidente socialista Michelle Bachelet para Piñera aconteceu em uma austera cerimônia com tom menos festivo do que o habitual em respeito ao luto nacional.

Expectativas

Os chilenos esperam que o novo presidente, um economista formado em Harvard, use sua renomada capacidade empresarial para ajudar o país, um dos mais estáveis da América Latina, a se recuperar da tragédia que matou centenas de pessoas.

"Ele é um empresário... e é disso que precisamos agora. Alguém que possa criar empregos para os nossos filhos", disse Carlos Fuentes, de 47 anos, pescador que perdeu casa e barco na localidade de Curanipe após o terremoto de magnitude 8,8 que atingiu o país em 27 de fevereiro. "Ele pegou um emprego difícil", comentou o pescador, desembaraçando sua rede com uma faca.

O terremoto pouco abalou a mineração chilena, esteio da economia nacional, mas causou graves danos, na região centro-sul do país, à atividade vinícola, pesqueira e de produção de papel e celulose. Alguns analistas dizem que os prejuízos podem tirar até meio ponto percentual do crescimento econômico neste ano.

Leia também:

Leia mais sobre Chile

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.