O som e a voz de festival da Dave Matthews Band

Modelo de country rock envenenado faz com que grupo concorra ao título de macho-alfa da noite

Pedro Alexandre Sanches, repórter especial iG Cultura |

Dave Matthews tem voz de festival. À frente da banda que leva seu nome, troveja a voz grave, rouca e chorosa que parece misturar as gargantas de Bruce Springsteen e Tom Waits. O público se impressiona.

A Dave Matthews Band tem som de festival. O modelo de country rock envenenado (e ao mesmo tempo popificado) preenche quilômetros de gramado com guitarras mal-humoradas, metais em excesso, aquele maquinário todo que costuma exercer efeito hipnótico sobre multidões sedentas por vibrar numa frequência só. Ao final de uma sequência dominada pelas deusas suaves Regina Spektor e Joss Stone, a rígida e maciça banda norte-americana e seu líder concorrem ao título de machos-alfa da noite.

Tudo está no seu lugar, correndo nos conformes, e a Dave Matthews Band e o SWU parecem feitos um para o outro. Deixa feliz um bocado de gente doida por diversão, mas isso não é necessariamente motivo de celebração. Seu show, além de longo e pesado, é chato à beça.

    Leia tudo sobre: SWUDave Matthews Band

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG