Empolgação do público do SWU levanta Stone Temple Pilots

Apresentação seguia burocrática até banda tocar "Plush" e plateia cantar junto

Augusto Gomes, enviado a Paulínia |

Tinha tudo para ser um show burocrático. Mas a empolgação do público do SWU foi tanta que contagiou o Stone Temple Pilots. A banda havia começado a apresentação no piloto automático e caminhava para terminar da mesma maneira. Mas, quando tocou o sucesso "Plush", quase no final do show, a coisa mudou.

Acesse o especial SWU

A plateia cantou a música com tanta vontade que surpreendeu o vocalista Scott Weiland. Ele então virou o microfone em direção ao público e deixou que ele cantasse. Depois dessa verdadeira demonstração de amor da plateia, o grupo se animou e o show melhorou bastante.

Pena que, a essa altura, a apresentação já estava quase no final. Foi o tempo do Stone Temple Pilots tocar apenas mais quatro ou cinco canções, com destaque para os sucessos "Big Bang Baby" e "Sex Type Thing". Pelo menos, quando o show terminou, Weiland já estava cantando em cima das caixas de retorno e pedindo para o público continuar o acompanhando.

Leia também: Os sobreviventes do grunge tocam no Brasil

Se tivesse começado a performance com essa vontade, ao invés de só tocar canções dos discos "Core" (1992) e "Purple" (1994) de maneira burocrática, o grupo teria feito um grande show do começo ao fim.

Veja abaixo o repertório da apresentação:

"Crackerman"
"Wicked Garden"
"Vasoline"
"Heaven & Hot Rods"
"Between the Lines"
"Hickory Dichotomy"
"Still Remains"
"Big Empty"
"Silvergun Superman"
"Plush"
"Interstate Love Song"
"Big Bang Baby"
"Down"
"Sex Type Thing"
"Dead & Bloated"
"Trippin' on a Hole in a Paper Heart"

    Leia tudo sobre: swuStone Temple Pilots

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG