Courtney Love decifrada em 10 momentos

Conheça episódios da vida e da carreira da polêmica roqueira que se apresenta no Brasil dentro do festival SWU

Augusto Gomes, iG São Paulo |

Viúva de Kurt Cobain. Notória consumidora de drogas. E muito briguenta. Quando o assunto é Courtney Love, sua música fica em segundo plano diante de sua atribulada vida pessoal. Mas sim, ela é uma cantora, e vai se apresentar no Brasil com sua banda, o Hole.

Getty Images
Courtney Love, do grupo Hole: cantora é conhecida por levar uma vida regada a sexo, drogas e rock'n'roll
Courtney é uma das atrações do festival SWU , que acontece de sábado (12) a segunda (14) em Paulínia, no interior de São Paulo. Ela vai fechar a programação do palco New Stage no domingo (13).

Leia também: Os sobreviventes do grunge no Brasil

No repertório, estarão canções dos discos que fizeram a fama do Hole nos anos 1990, "Live Through This" (1994) e "Celebrity Skin" (1998), misturadas com novidades de "Nobody's Daughter", de 2010.

Aos 47 anos, ela continua uma das grandes bad girls da música. Veja abaixo dez momentos da vida de sexo, drogas e rock'n'roll da cantora:

Reprodução
Courtney na contracapa do álbum do Grateful Dead
Na contracapa do Grateful Dead
Courtney Love praticamente nasceu no rock. Seu pai, Hank Harrison, foi empresário do Grateful Dead, uma das mais importantes bandas do movimento psicodélico na Califórnia dos anos 1960. Aos cinco anos de idade, ela apareceu, ao lado de várias crianças, na contracapa de um dos discos do grupo, "Aoxomoxoa". Nesse mesmo ano, seus pais se separaram. A mãe, Linda Carroll, ficou com a guarda de Courtney depois de alegar que Morrison havia dado LSD à filha.

Adolescente stripper
Em 1978, quando tinha 14 anos, Courtney foi detida ao tentar furtar uma camiseta e teve que passar uma temporada num reformatório juvenil. Foi a primeira de uma série de detenções que duraram até 1980, quando ela começou a trabalhar como dançarina em boates de strip tease. Na época, ela tinha apenas 16 anos. A profissão permitiu que ela viajasse por boa parte dos EUA e também Japão e Reino Unido. Por volta de 1983, ela já havia abandonado a vida de stripper, mas retomou a carreira no final daquela década.

Vocalista do Faith No More
Antes de Mike Patton, o Faith no More teve outro vocalista, Chuck Mosley. E, antes dele, Courtney Love. Isso mesmo: em 1982, ela cantou com o grupo durante algumas semanas. A parceria, no entanto, não deu certo e também não rendeu nenhuma gravação. Foi a primeira vez que Courtney se aventurou como cantora. Alguns anos depois, ela integrou o grupo Babes in Toyland, mas foi expulsa por causa das constantes brigas com a vocalista Kat Bjelland. Sua carreira musical só engrenou em 1989, quando formou o Hole.

Leia também: Filha de Kurt Cobain e Courtney Love estrela ensaio fotográfico

O primeiro casamento
Kurt Cobain não foi o primeiro marido de Courtney Love. Em 1989, ela casou com James Moreland, vocalista da obscura banda The Leaving Trains. O cantor era conhecido por usar roupas femininas, tanto dentro quanto fora do palco. Poucos meses depois, Courtney entrou com uma ação na justiça para cancelar a união. Moreland e Cobain foram os únicos maridos da cantora. Já sua lista de namorados inclui os músicos Billy Corgan (Smashing Pumpkins) e Trent Reznor (Nine Inch Nails) e o ator Edward Norton.

Reprodução
Courtney Love com o marido Kurt Cobain: teorias apontam a viúva como responsável pela morte do cantor
A teoria de conspiração
Courtney Love e Kurt Cobain casaram em 1992. Dois anos depois, o líder do Nirvana se matou com um tiro na cabeça. A investigação policial concluiu que não havia dúvidas de que havia sido um suicídio. Mesmo assim, não faltam teorias conspiratórias que garantem que a morte foi provocada por Courtney. O principal responsável por essas teorias é o detetive Tom Grant. Segundo ele, o bilhete deixado por Cobain foi forjado, e uma pessoa atirou no cantor após deixá-lo desacordado com uma dose de heroína.

Leia também: O estilo de Courtney Love

Jogando sapatos em Madonna
O ano é 1995. O local, o Radio City Music Hall, em Nova York. A ocasião, o VMA, principal prêmio da MTV americana. A superstar Madonna dava uma entrevista na entrada da festa, quando um sapato foi atirado em sua direção. Quem jogou? Courtney Love. E não foi só isso: depois ela ainda foi em direção a Madonna, interrompeu a entrevista e começou a conversar amenidades com a cantora, como se elas fossem velhas amigas. Madonna ficou visivelmente constrangida, até ser resgatada por sua empresária.

Courtney Love no cinema
Antes de ficar conhecida como vocalista do Hole, Courtney Love já havia tentado a carreira no cinema. Fez uma ponta, por exemplo, no filme "Sid & Nancy" (1986), de Alex Cox. Mas seu primeiro papel importante só veio em 1996, em "O Povo Contra Larry Flynt", de Milos Forman. No papel da namorada do criador da revista pornográfica Hustler, ela recebeu fartos elogios da crítica e foi indicada ao Globo de Ouro. Por causa disso, entrou até na lista de apostas de candidatas ao Oscar , mas não foi indicada.

Com os peitos de fora na TV
Em 2004, Courtney Love estava promovendo o seu primeiro disco solo, "America's Sweetheart", e foi ao programa de David Letterman, um dos mais importantes talk shows dos Estados Unidos, para falar sobre o álbum. O problema é que a cantora havia consumido tantas drogas que estava completamente alterada. Tanto que, ao final da entrevista, subiu em cima da mesa de Letterman, levantou a blusa e mostrou os seios para o apresentador. Algumas horas mais tarde, ela foi presa por posse de analgésicos sem receita médica.

Batendo boca no twitter
O escândalo mais recente da cantora foi causado por uma discussão no Twitter com a estilista Dawn Simorangkir. As duas bateram boca através da rede social e Courtney chamou Dawn de "puta" e "mentirosa". A estilista então entrou na Justiça, pedindo uma indenização. O caso foi resolvido depois que a cantora concordou em pagar US$ 430 mil (cerca de R$ 700 mil) num acordo extrajudicial. Sua lista de problemas com a Justiça inclui processos por posse de drogas, agressão, confusão em público e a luta pela guarda da filha, Frances Bean.

A volta do Hole
Em 2009, Courtney Love anunciou que estava reunindo o Hole após sete anos de separação. A nova formação da banda, no entanto, não incluía nenhum dos antigos integrantes. O guitarrista original do grupo, Eric Erlandson, não gostou nada e inclusive disse que uma reunião não poderia acontecer sem sua participação. A resposta de Courtney foi curta e grossa: "Hole é minha banda, meu nome, minha marca". Em 2010, ela lançou o disco "Nobody's Daughter", o primeiro do Hole desde "Celebrity Skin", de 1998.

    Leia tudo sobre: swucourtney loveholenirvana

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG