Steve Jobs é eleito o CEO da década

Conhecido mundialmente por seu carisma e por um modo de gestão centralizador, o presidente e fundador da Apple, Steve Jobs, foi eleito o CEO da década pelo site MarketWatch, referência no mercado financeiro internacional, ligado ao Wall Street Journal e à agência de notícias Dow Jones

AE |

selo

Conhecido mundialmente por seu carisma e por um modo de gestão centralizador, o presidente e fundador da Apple, Steve Jobs, foi eleito o CEO da década pelo site MarketWatch, referência no mercado financeiro internacional, ligado ao Wall Street Journal e à agência de notícias Dow Jones. Jobs foi escolhido por representar o presidente-executivo cujos esforços, na última década, mais tiveram resultados significativos para investidores, consumidores e funcionários. A seleção foi feita pelos leitores do próprio site. Inicialmente, no entanto, coube aos editores listarem as empresas que, nos últimos dez anos, se destacarem em quesitos como desempenho na visão do consumidor, retorno de ações, tratamento dos empregados, iniciativas de governança corporativa e sustentabilidade empresarial. Os leitores do site escolheram Jobs entre outros quatro finalistas: Jeff Bezos, do site de varejo Amazon; Howard Schultz, da rede de cafeterias Starbucks; Tim Solso, da fabricante de motores Cummins; e Eric Schmidt, do site de pesquisas Google. "A ressurreição da Apple é provavelmente a história mais surpreendente que aconteceu no mundo dos negócios em pelo menos uma década ou talvez em meio século", disse ao MarketWatch Roger Kay, presidente da Endpoint Technologies. "É equivalente a Thomas Edison e Alexandre Grahan Bell em termos de impacto." Fundador da Apple em 1976, Steve Jobs foi forçado pelo conselho de administração a deixar a empresa em 1985, quando fundou a NeXT, outra empresa de computadores. Os anos seguintes foram marcados por uma grave crise financeira que quase levou a empresa à falência, e a Apple contratou Jobs novamente como consultor em 1997. Reviravolta. Foi o início de uma reviravolta que levou a empresa a se tornar referência em inovação, design e funcionalidade. Sempre baseado em um marketing agressivo e apresentações capitaneadas pelo próprio Steve Jobs , a empresa lançou, nos últimos anos, produtos que inauguraram ou se tornaram ícones em suas categorias, como o iPod, o iPhone e, mais recentemente, o iPad. Jobs também foi o responsável por uma grande expansão na empresa, contratando dezenas de milhares de trabalhadores depois de seu retorno. Hoje, a Apple emprega mais de 46 mil funcionários no mundo todo, ante os 8,5 mil do início da década. A empresa tem, atualmente, mais de 320 lojas espalhadas pelo mundo. A última década foi igualmente positiva em termos de vendas e de retorno para os investidores. As vendas aumentaram cerca de 12 vezes no período, tendo saído de US$ 5,4 bilhões no ano fiscal de 2001 para US$ 65,2 bilhões em 2010. Nesta década, a Apple já acumulou mais de US $ 229 bilhões em vendas totais. Atualmente, o valor de mercado da Apple é de US$ 285 bilhões, superando o valor da rival Microsoft, atualmente estimado em US$ 220 bilhões. Steve Jobs, que este ano chegou a se afastar da empresa por alguns meses para tratar de problemas de saúde, constantemente figura também na lista dos homens mais ricos dos Estados Unidos. Com fortuna avaliada em US$ 6,1 bilhões, ele ocupa a posição de número 42 no ranking elaborado pela revista Forbes. O primeiro lugar é ocupado pelo fundador da Microsoft, Bill Gates. CEO do ano. Além da eleição do CEO da década, o site MarketWatch também promoveu a escolha do CEO do ano. Nesse caso, toda a seleção foi feita pelos editores, sem participação dos leitores. O escolhido foi Alan Mulally, da Ford, reconhecido por seu desempenho em meio à crise financeira internacional. <i>As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. </i>

    Leia tudo sobre: TELECOM E TI

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG