Silval determina sigilo sobre desequilíbrio orçamentário

Déficit de R$ 300 milhões está sendo explorado pelo adversário Mauro Mendes (PSB) durante a campanha

Kelly Martins, iG Cuiabá |

 A preocupação com a possibilidade de uso eleitoral sobre dados fiscais do Governo fez com que o governador Silval Barbosa (PMDB) determinasse ao seu secretariado sigilo absoluto com relação ao assunto nesse período eleitoral.

A ordem do candidato à reeleição decorre de acusações disparadas pelo seu adversário na corrida pelo Palácio Paiaguás, Mauro Mendes (PSB).

Em seus discursos de campanha, o socialista acusou Silval de levar o Estado a um desequilíbrio orçamentário de R$ 300 milhões.

O secretário-chefe da Casa Civil, Éder Moraes, admitiu que, por conta das limitações impostas pela legislação eleitoral para a execução de recursos, existe pendência da União com Mato Grosso nesse montante.

“Faltando apenas três meses para o fim do governo é comum ocorrerem muitos ataques como esses”, afirmou Moraes, um dos homens de confiança de Barbosa.

O secretário explica, ainda, que outros recursos estariam sendo retidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) por conta da legislação vigente no período eleitoral.

Moraes, no entanto, manifestou a expectativa de que o Executivo estadual conclua a gestão com equilíbrio financeiro, como prevê a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Por uma questão de transparência das contas públicas, é natural o Governo tornar públicas suas informações econômicas.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG