Seul volta a considerar a Coreia do Norte como "principal inimigo"

Termo não era utilizado desde 2004. Principal aliado dos norte-coreanos, China afirmou que "diálogo é melhor que o conflito"

EFE |

Seul - A Coreia do Sul decidiu nesta terça-feira declarar que a Coreia do Norte é, novamente, seu "principal inimigo", expressão que tinha retirado em 2004, após acusar o país comunista de afundar em março deste ano um de seus navios de guerra, causando 46 mortes. Segundo a agência sul-coreana "Yonhap", um responsável do Governo sul-coreano considerou que a medida de restaurar o termo de "principal inimigo" era lógica, e confirmou que Seul o incluirá novamente no "livro branco" do Ministério da Defesa do país.

A Coreia do Sul utilizou esta definição pela primeira vez em 1995, depois que um político norte-coreano ameaçou transformar Seul em um "mar de fogo" durante um encontro militar bilateral realizado no ano anterior. No entanto, o Governo eliminou a expressão em 2004, após a melhora das relações entre as duas Coreias, e em seu lugar empregou denominações como "ameaça militar direta" ou "ameaça militar existente" para definir a Coreia do Norte.

A decisão de Seul acontece um dia depois que o presidente sul-coreano, Lee Myung-bak, anunciou publicamente a suspensão dos intercâmbios com Coreia do Norte e exigiu desculpas pelo afundamento do navio "Cheonan".

Enquanto isso, o Governo da China, principal aliado dos norte-coreanos, pediu "a todas as partes" para usarem moderação, afirmando que "o diálogo é melhor que o conflito". "Esperamos que todas as partes implicadas mantenham a calma e exerçam a moderação a fim de conduzir adequadamente o assunto para evitar que a situação se agrave", assinalou a porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores da China, Jiang Yu.

    Leia tudo sobre: iGCoreia do SulCoreia do NorteMundoChina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG