Líderes concordam em garantir segurança de material nuclear em quatro anos

Os líderes dos 47 países que participam da Cúpula sobre Segurança Nuclear concordaram nesta terça-feira em garantir a segurança de todo o material atômico no mundo até 2014, de acordo com um rascunho da declaração final do encontro.

iG São Paulo |


O comunicado, cuja cópia foi obtida por agências de notícias, estabelece uma série de compromissos gerais nos quais os países prometem reforçar a proteção dos materiais nucleares que estão sob seu controle.

O documento diz que um objetivo-chave é "evitar que atores não-estatais obtenham a informação ou a tecnologia necessária para usar esses materiais". Os países afirmam que "o terrorismo nuclear é uma das maiores ameaças para a segurança internacional".

No texto, os 47 países reafirmam que os materiais nucleares são responsabilidade "fundamental" dos Estados e ressaltam que o urânio altamente enriquecido e o plutônio refinado em particular requerem medidas especiais de proteção.

Os países também respaldam a conversão de reatores que utilizam urânio altamente enriquecido por outros que usem combustível pouco enriquecido, e solicitam a redução do uso de urânio altamente enriquecido sempre que seja "técnica e economicamente possível".

Em um aceno a alguns dos países em desenvolvimento que buscam lançar programas nucleares civis próprios, o texto afirma que "fortes procedimentos de segurança nuclear que não infringirão os direitos dos Estados de desenvolverem e utilizarem a energia nuclear para fins pacíficos".

O comunicado reafirma o papel central da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), da Organização das Nações Unidas (ONU), e promete garantir que a agência tenha os recursos necessários para executar seu mandato.

Com EFE e Reuters

Leia mais sobre segurança nuclear

    Leia tudo sobre: segurança nuclear

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG