Após acordo com EUA, Rússia fecha último reator nuclear de plutônio

Moscou deve gastar cerca de US$ 2,5 bilhões para eliminar o material de seu programa de defesa

iG São Paulo |

A Rússia fechou nesta quinta-feira o seu último reator nuclear de plutônio, localizado na cidade siberiana de Zheleznogorsk, de acordo com os compromissos adotados na recente reunião de cúpula sobre segurança nuclear de Washington.


"A usina foi fechada às 4 horas GMT (1 hora de Brasília)", afirmou a porta-voz da central, Yelena Golovinkina.

O encerramento das atividades da usina faz parte do compromisso assinado nesta semana pelo presidente Dmitri Medvedev na Cúpula de Segurança Nuclear, celebrada na capital federal americana, com o objetivo essencial de manter as armas nucleares fora do alcance dos terroristas.

Acordo

Estados Unidos e Rússia assinaram na última terça-feira um protocolo para se desfazer de pelo menos 34 toneladas do excedente do plutônio altamente refinado de seus respectivos programas de defesa, material suficiente para fabricar milhares de armas nucleares.

O protocolo, que emenda e atualiza o Acordo de Disposição de Plutônio de 2000, foi assinado pela secretária de Estado americana, Hillary Clinton, e o ministro de Assuntos Exteriores russo, Serguei Lavrov, em um ato paralelo à cúpula de segurança nuclear.

Segundo Lavrov, a Rússia deve gastar cerca de US$ 2,5 bilhões para suprimir o plutônio de seu programa de defesa.

Getty Images
Hillary e Lavrov comemoram o acordo assinado nesta terça-feira

O descarte da matéria-prima será inspecionado e monitorado por especialistas e tem o objetivo de garantir que os estoques não sejam utilizados para armas ou outros fins militares.

O mundo conta com reservas mundiais de urânio enriquecido e de plutônio - possíveis ingredientes de uma bomba atômica - de 1.600 toneladas e 500 toneladas, respectivamente.

* Com EFE e Reuters

    Leia tudo sobre: segurança nuclear

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG