Iraniana é acusada de adultério e de cumplicidade no assassinato de seu marido

Uma mulher iraniana condenada à morte por apedrejamento foi autorizada a deixar a prisão para jantar com a filha e o filho neste sábado. Horas antes, o filho apelou ao Judiciário para que poupasse a vida da mãe.

A sentença de apedrejamento a Sakineh Mohammadi Ashtiani foi suspensa após pressão internacional, mas ela ainda pode ser executada por enforcamento.

Seu filho, Sajjad Ghaderzadehm, que também está envolvido em um processo judicial após ter falado com dois repórteres alemães, disse que Sakineh violou a lei islâmica mas pediu compaixão e perdão.

"Na minha opinião, minha mãe também é culpada, mas como perdemos nosso pai, não queremos perder nossa mãe também. Portanto, pedimos a comutação da pena", disse a jornalistas na cidade de Tabriz, no noroeste do Irã.

Horas depois, Sakineh que é acusada de adultério e de cumplicidade no assassinato de seu marido recebeu permissão para deixar a prisão. Ela jantou com os filhos no mesmo lugar onde foi realizada a entrevista coletiva.

Não estava claro sobre quando Sakineh retornará a prisão, e os repórteres não foram autorizados a falar com ela.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.