O muso, a musa, o melhor cenário, os figurinos, os micos e a participação mais marcante; relembre os melhores momentos do festival

Foram sete dias de festival, com mais de 35 shows apenas no palco principal. O Rock in Rio teve tanto momentos marcantes - como Stevie Wonder tocando “Garota de Ipanema” ao lado de sua filha - como episódios inusitados - como Ke$ha quebrando a guitarra após falar que estava bêbada.

Inspirada no Oscar, a reportagem do iG criou algumas categorias para ilustrar os principais momentos – bons e ruins – do Rock in Rio.

Ke$ha quebra guitarra no Rock in Rio
Photo Rio News
Ke$ha quebra guitarra no Rock in Rio

Efeitos especiais: Slipknot . A bateria que girou em 90º foi um dos destaques de uma apresentação extremamente visual.

Maquiagem: Ke$ha ,com seu estilo dubladora de “Qual é a música?”. E ainda borrou o batom ao entornar sangue cenográfico na boca.

Efeitos sonoros: o auto-tune (software para melhorar a voz) de Ke$ha .

Melhor coreografia: Skank . A pedido do vocalista Samuel Rosa, o público tirou a camisa e rodou para o alto.

Melhor beijo: Apesar do comentado beijo na bochecha de um fã na apresentação de Katy Perry , o destaque foi para o selinho cinematográfico de Sandra de Sá em Bebel Gilberto .

Melhor briga: Claudia Leitte , após sua apresentação, se justificando pelas críticas de sua presença no Rock in Rio. Ela também detonou, indiretamente, Rihanna , que se apresentou na mesma noite .

Troféu turista japonês: Samuel Rosa, do Skank . Ele passou um bom tempo filmando o público de cima do palco.

Troféu pai coruja: Marcelo D2 e Frejat . O filho do primeiro cantou rap; o do segundo, tocou guitarra. Martinho da Vila trouxe a filha para o palco Sunset, e Stevie Wonder cantou “Garota de Ipanema” com a sua também.

Troféu entrada triunfante: Stevie Wonder . Emocionante, de um show inesquecível.

Troféu saída triunfante: Claudia Leitte se enroscou nos cabos que a içaram do palco. Por pouco não foi ao chão.

Melhor item de cenário: A estética “Só Para Baixinhos” de Katy Perry . Parecia festa infantil. Com pirulitões gigantes sorridentes e uma nuvem com fundo em arco-íris.

Maior atraso: Rihanna ,. Demorou 1h40 além do horário previsto - conseguiu ganhar do Guns N' Roses.

Melhor coadjuvante: Ivete Sangalo . A baiana adicionou um tempero a mais ao cantar “País Tropical” na apresentação de Shakira . O público a ovacionou. “Não falei que eles iam gostar?”, disse.

Arroz de festa: Andreas Kisser . Tocou com a bateria da escola de samba Mocidade Independente, antes do início do festival, fez show com Ed Motta, com o Sepultura e participou dos shows de Motörhead e Maná .

Bordão do Festival: “Hoje é dia de Rock, bebê”. De Christiane Torloni , alegre na área VIP. O bordão foi parar nas camisetas personalizadas do público nos dias seguintes e bombou nas redes sociais.

Melhor discurso: Dinho Ouro Preto, pela alfinetada em José Sarney no show do Capital Inicial .

Momento Miss: "Acreditem nos sonhos e no amor". Foi apenas uma das pérolas de Claudia Leitte .

Difícil de limpar: A purpurina que foi jogada durante o show de Ke$ha . Ficou todo mundo “brilhando” após a apresentação da americana. Dos fotógrafos ao público que estava ali mais para ver Stevie Wonder .

Fantasia: O percussionista do Slipknot . Apareceu vestido como um palhaço assustador, como se tivesse saído de um filme de horror.

Dor de ouvido: Apesar dos gritinhos estridentes de Ke$ha , esse fica com Pitty . Durante o tributo ao Legião Urbana , ela não se decidia se queria cantar grave ou agudo.

Animador de auditório: Dinho Ouro Preto, do Capital Inicial . Como costuma fazer, passou grande parte do festival dizendo: “Pô, cara, do c*”

Muso: Adam Levine. O vocalista do Maroon 5 arrancou suspiros do público feminino com a primeira pisada no palco.

Musa: O rebolado, a cinturinha e a barriga malhada de Shakira fizeram muita mulher dar uns beliscões nos namorados.

Momento Vergonha Alheia: Ke$ha , pelo conjunto da obra (disse que estava bêbada, quebrou a guitarra, bebeu sangue cenográfico e cuspiu cerveja).

Melhor cover: “Garota de Ipanema”, por Stevie Wonder , com sua filha e mais 100 mil vozes presentes à Cidade do Rock. De arrepiar.

Pior Cover: “Nothing Else Matters”, do Metallica , em versão cigana com Shakira .

Participaram desta cobertura: Augusto Gomes, Marco Tomazzoni, Luisa Girão, Valmir Moratelli e Vicente Seda

Acesse o especial Rock in Rio

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.