Show do Buraka Som Sistema no Rock in Rio é invadido por mulheres

Ao lado do brasileiro Mixhell, a banda portuguesa de kuduro faz do Sunset pista de dança com participação do público

Marco Tomazzoni, enviado ao Rio de Janeiro |

Kuduro, isso que faz o Buraka Som Sistema. A frase anterior está escrita em português, tenha certeza. A banda de Portugal adiciona eletrônica e muitas influências ao tradicional ritmo angolano, e trouxe a receita para o Rock in Rio . A mistura esdrúxula - axé, carimbó, rap e new rave - transformou o palco Sunset, no primeiro show da sexta-feira, numa pista de dança das mais empolgadas.

No início, as poucas pessoas que não estavam nas filas do brinquedos na Cidade do Rock ficaram por ali para aproveitar a sombra da cobertura do palco. Em pouco tempo elas perceberiam a sorte que deram.

Também estava no palco o Mixhell, projeto eletrônico de Iggor Cavalera e sua mulher, Laima. Mas no fundo foi quase uma apresentação solo do Buraka, que só teve suas características amplificadas: imagine uma música dance com batidas envenenadas pelo Mixhell, mais percussão e duas baterias, uma delas comandada pelo ex-integrante do Sepultura. Dor para os ouvidos.

Há dois vocalistas na rima, embora a cantora angolana Petty seja quem atraia os olhares. Com maquiagem laranja fosforecente e figurino mínimo, ela grita e desafina, mas sabe como comandar um show. Aparentado com os ritmos regionais brasileiros, o kuduro faz da moça uma discípula de Joelma, do Calypso, e Ivete Sangalo - está aí um bom dia, portanto, para se apresentar no Rock in Rio, já que a a baiana canta à noite.

A lambança lembra um bocado o que faz a cingalesa M.I.A, justamente uma das convidadas do single de estreia do grupo, "Sound of Kuduro", de 2008. A música foi uma das mais aplaudidas, junto com "Kalemba (Wegue Wegue)".

Eis que no final aquilo tudo descamba para o funk carioca, com o refrão "20 gostosonas". Naturalmente 20 mulheres da plateia foram convidadas a subir ao palco e dançar até o chão, o que todas atenderam sem pestanejar. Impressionante.

O público atendia aos pedidos de "mãos no ar" e quando a coisa estava pegando fogo, Conductor (um dos vocalistas) jogou água em que estava no gargarejo. Uma das mais belas surpresas do Rock in Rio até aqui.

Acesse o especial Rock in Rio

    Leia tudo sobre: Rock in Riomúsica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG