Rock in Rio será o enredo da Mocidade no carnaval 2013

Guitarristas das bandas Sepultura, Jota Quest e Capital Inicial se apresentaram tocando rock e samba na inauguração do Palco Mundo

Vicente Seda, iG Rio de Janeiro |

Vicente Seda
Guitarristas se juntaram a ritmistas e passistas da Mocidade para unir samba e rock no Palco Mundo do Rock in Rio
AgNews
Marco Túlio, Yves Passarell e Andreas Kisser tocam junto com a bateria
Com uma combinação de samba e rock´n roll, o organizador do Rock in Rio , Roberto Medina , anunciou que o festival será o enredo da escola de samba carioca Mocidade Independente de Padre Miguel no carnaval 2013, quando haverá uma nova edição do festival. O enredo deve se chamar “Eu Vou de Mocidade”. Medina falou sobre a novidade durante coletiva na tarde desta quarta-feira (14), na Cidade do Rock, zona oeste do Rio de Janeiro.

Para celebrar a parceria os guitarristas Andreas Kisser, do Sepultura, Marco Túlio, do Jota Quest e Yves Passarell, do Capital Inicial, se apresentaram junto com a bateria da escola de Padre Miguel. Juntos, eles tocaram “Whole Lotta Rosie” do AC/DC, a música tema do Rock in Rio e sambas da Mocidade. O encontro marcou também a inauguração do principal palco do festival, o Palco Mundo. Estiveram presentes o presidente da agremiação, Paulo Vianna, e o carnavalesco, Alexandre Louzada.

Segundo Medina, a ideia partiu da Mocidade, porém logo foi aprovada pelo empresário. “Me emocionei. O Rock in Rio já vem dando samba há muito tempo e vamos estremecer a Avenida. O povo vai se surpreender com a nova Cidade do Rock. Está muito mais sofisticada”, disse ele, após as apresentações. Questionado se irá desfilar, comentou: “Não sei se vou ter coragem. No primeiro Rock in Rio tinham programado uma homenagem para mim no palco com todos os artistas e eu fugi. Imagina centenas de milhares de pessoas na sua frente? Tremi. Até artista treme”.

O guitarrista do Sepultura, Andreas Kisser, falou sobre a mistura de gêneros na música. “É bom demais estar inaugurando o Palco Mundo com essa mistura de guitarra e samba. O Rock in Rio me ajudou muito a ser o músico que sou hoje, bem mais eclético. Esse evento representa bem o momento do Brasil”, afirmou ele. “Não tinha melhor forma de eternizar esses 26 anos de história. É o maior evento de música se juntando com a maior festa popular do mundo”, concluiu a empresária Roberta Medina , filha de Roberto e produtora do Rock in Rio.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG